Médicos Sem Fronteiras inicia vacinação contra sarampo na República Centro-Africana

0
32

República Centro-Africana - Foto: Pierre TerdjmanBangui – Após a confirmação de casos de sarampo entre crianças em diversos campos para deslocados internos em Bangui, na República Centro-Africana, a organização humanitária internacional Médicos Sem Fronteiras (MSF) deu início à vacinação de 68 mil crianças em cinco dos acampamentos da cidade para prevenir um surto.

MSF já vacinou mais de 25 mil crianças nos campos de Don Bosco e Boy Rebe e o objetivo é vacinar 40 mil no campo de Mpoko e outras 3 mil nos campos de Saint Michel e Saint Elime até a próxima sexta-feira. Todas as crianças entre seis meses e 15 anos são alvo da campanha e correspondem a 40% da população total dos acampamentos.

– O sarampo pode ser uma doença bastante mortal para crianças e é altamente contagiosa. De 10 a 30% das crianças que já estão com a imunidade baixa não sobrevivem, a menos que sejam vacinadas. Na medida em que muitas das crianças enfrentam as precárias condições de vida nos acampamentos, nós, definitivamente, queremos prevenir uma epidemia, e é por isso que estamos conduzindo essas vacinações – afirma Tessy Fautsch, coordenadora de vacinação de MSF.

O sarampo é altamente contagioso e transmitido rapidamente por meio de tosse, espirro e contato próximo. Os riscos de transmissão são, portanto, maiores em ambientes superlotados, como os acampamentos em Bangui. Complicações são comuns e incluem infecções respiratórias agudas (pneumonia), diarreia severa e desidratação e encefalite (inflamação do cérebro). O sarampo pode também causar cegueira e infecções de ouvido. Crianças, principalmente as desnutridas, são mais vulneráveis à doença.

Com informações da Médicos Sem Fronteiras