ONU cobra investigação sobre violações na República Centro-Africana

0
162

A República Centro-Africa sofre uma crise humanitária, com mais da metade da população – de 2,7 milhões de pessoas – precisando de ajuda. Foto: OCHA/Gemma Cortes
A República Centro-Africa sofre uma crise humanitária, com mais da metade da população – de 2,7 milhões de pessoas – precisando de ajuda. Foto: OCHA/Gemma Cortes

O chefe da ONU para os Direitos Humanos, Zeid Ra’ad Al Hussein, cobrou mais esforços para investigar alegações de que soldados enviados para manter a paz na República Centro-Africana (RCA), teriam cometido sérias violações, incluindo a morte de civis e a exploração sexual de mulheres.

Zeid explicou que na sequência das revelações de supostos abusos sexuais de crianças, atualmente sob investigação das autoridades francesas, o Alto Comissariado da ONU para os Direitos Humanos (ACNUDH) passou a investigar essa questão, bem como sérias alegações de violações cometidas por soldados de outros contingentes internacionais.

Vários incidentes, incluindo alguns envolvendo o uso excessivo da força, desaparecimentos forçados, exploração sexual e violência, foram investigados prontamente por representantes de direitos humanos da ONU no terreno e, posteriormente, pelo Comissão Internacional de Inquérito sobre a RCA, que relatou uma ampla gama de violações das forças internacionais em dezembro de 2014.

As forças envolvidas nestes incidentes não operavam sob a bandeira das Nações Unidas, de acordo com o ACNUDH. No entanto, soldados estrangeiros, incluindo os membros da Força de Paz, já estiveram implicados em crimes, incluindo exploração e abuso sexual.

Além de pedir aos Estados implicados para fornecer mais informação sobre os passos dados na investigação e processar aqueles que tenham cometido crimes, o alto comissário enviará um time da sua sede em Genebra para a República Centro-Africana para verificar que outras medidas podem ser tomadas para responder às violações.