Seca no sul de Angola afeta 2,3 milhões de pessoas e tira crianças da escola

0
  •  
  •  

Unicef Angola/2019/Carlos César

Com informações da ONU News 

No sul de Angola, cerca de 2,3 milhões de pessoas são afetadas pela seca nas províncias de Namibe, Huíla, Bié e Cunene. Segundo o Fundo das Nações Unidas para a Infância (UNICEF), quase 500 mil são crianças com menos de cinco anos.

A falta de chuva durante os primeiros três meses do ano arrasou culturas. Em Cunene, o número de pessoas em situação de insegurança alimentar mais do que triplicou nesse período, passando de 250 mil em janeiro para mais de 850 mil em março.

Segundo o UNICEF, a falta de água também teve um efeito arrasador na educação das crianças. A seca afetou mais de dois terços das 887 escolas primárias de Cunene deixando 70% dos alunos fora das salas de aula.

Para reduzir o impacto, a província de Cunene irá instalar 30 tanques de água, com capacidade de 5 mil litros, nos locais mais afetados e com menor acesso.

O Unicef está apoiando o governo de Angola criando “escolas de refúgio”, onde as comunidades mais vulneráveis podem ter acesso a serviços de saúde, nutrição, água, saneamento e proteção.

  •  
  •