Projeto leva conectividade para salas de aulas de refugiados na África

0
62

csm_03.2017.14_Innovacion_africa_2324e59a85
Animados, estudantes usam tablets do projeto Instant Network Schools (INS). Foto: Catherine Wachiaya/ACNUR

Com informações da ONU

Educação online e conectividade estão chegando às escolas nos campos de refugiados na África. É o projeto Instant Network Schools (INS), que leva kits digitais para escolas e centros comunitários. Os materiais incluem tablets, baterias recarregáveis com energia solar, rede de satélite móvel e materiais para aprendizagem online.

O projeto, parceria do ACNUR, a Agência da ONU para refugiados, e a Fundação Vodafone, começou em 2014 no campo de refugiados de Dadaab e já foi adotado por 31 centros em quatro países da região: Quênia, Tanzânia, Sudão do Sul e República Democrática do Congo. Para aplicá-lo, os professores recebem suporte em tecnologia da informação e treinamento contínuo.

Atualmente, mais de 65 milhões de pessoas estão fora de suas casas por conta de guerras e perseguições em todo o mundo, incluindo mais de 21 milhões de refugiados. Metade deles são crianças, e muitas não frequentam a escola. De acordo com um relatório do ACNUR, apenas 50% estão matriculadas na educação primária, 22% no ensino secundário e 1% no ensino superior.

Jacqueline Strecker, Gerente do Laboratório de Aprendizagem do ACNUR Innovation, diz que a ideia é levar uma abordagem holística, trazendo tecnologia para a sala de aula, disponibilizando material didático, informações atualizadas, vídeos e fotos educacionais. “Isso vai de encontro ao compromisso do ACNUR de garantir educação de alta qualidade. Ouvimos de alunos e professores que o programa aumentou a motivação de todos”, relatou.

“Os alunos entendem melhor o que veem ao invés do que ouvem. Costumávamos ouvir falar de muitas coisas que não conhecíamos”, diz Dekow Mohamed, uma refugiada da Somália de 18 anos. “Quando os tablets chegaram, até os professores ficaram admirados com a nossa participação”.