Relatório sobre riqueza na África indica o aumento de milionários e da desigualdade

1

Terraço do luxuoso restaurante Cais de Quatro com vista para a cidade Luanda, capital da Angola Foto: Simon Dawson/Getty Images
Terraço do luxuoso restaurante Cais de Quatro com vista para a cidade Luanda, capital da Angola Foto: Simon Dawson/Getty Images

De acordo com o relatório da New World Wealth, a África é atualmente o lar de mais de 160 mil pessoas com fortunas pessoais que superam 1 milhão de dólares. O aumento representa o dobro do número de indivíduos ricos desde a virada do século.

Estima-se que, até 2024, o número de africanos milionários cresça 45%, para mais de 234 mil, de acordo com o relatório produzido pela empresa de pesquisa de mercado sul-africana.

A combinação da participação de riqueza de indivíduos de alta renda líquida (superior a 1 milhão de dólares) na África totalizara 660 bilhões no final de 2014. Enquanto isso, o número de pessoas pobres na África – que vivem com menos de 1,25 dólares por dia – aumentou de 411,3 milhões em 2010 para 415.800 milhões em 2011, de acordo com o Banco Mundial.

Durante os últimos 14 anos, enquanto a média global no número de indivíduos de alta renda líquida cresceu 75%, na África, esse número foi de 145%. A taxa para o Oriente Médio durante o mesmo período foi de 136%, enquanto na América Latina foi 278%. O Banco Mundial previu uma média de crescimento econômico de 5,5% para a África Subsaariana em 2016, embora “a pobreza extrema continue a ser elevada em toda a região”

Em Angola, a riqueza subiu de 620 dólares por pessoa em 2000, para 3,920 dólares em 2014, registrando o maior crescimento ao longo do período de 14 anos analisado. Entre os países do continente, a África do Sul é o lar do maior número de milionários no continente com 46.800 mil em 2014. O Egito vem em segundo, com mais de 20 mil, seguido pela Nigéria em terceiro lugar.

 


1 COMENTÁRIO