Especial Filosofia Africana nos PALOP: Ouça série com autores africanos

0
  •  
  •  

Quando se fala em filosofia africana nos PALOP (Países Africanos de Língua Oficial Portuguesa) três nomes são incontornáveis: Severino Ngoenha, Filomeno Lopes e José Castiano. Severino Ngoenha e Filomeno Lopes ajudaram a fundar o que se denominou depois de Escola de Roma, já que construíram as condições para que a filosofia africana fosse estudada e se tornasse um objeto vivo de pesquisa em universidades italianas.

Já em Moçambique, Severino Ngoenha e José Castiano desenvolveram um trabalho de institucionalização da filosofia que gerou uma escola de pensamento local, com jovens mestres e doutores sendo formados em suas universidades. Os trabalhos publicados por estes três autores ainda não têm ampla divulgação no Brasil e, por isso mesmo, essa série de entrevistas deve servir como um ponto de partida para estudantes e pessoas interessadas ampliarem esse diálogo.

José Castiano nasceu na Beira (Moçambique) em 1962. É docente de filosofia nos cursos de licenciatura e mestrado na Universidade Pedagógica (UP).  Ouça aqui 

Filomeno Lopes é originário da Guiné-Bissau. É jornalista da Rádio Vaticano; Doutor em Filosofia e Ciências de Comunicação Social e Licenciado em Teologia Fundamental pela Pontifícia Universidade Gregoriana de Roma. Ouça aqui 

Severino Ngoenha nasceu em Maputo em 1962. Possui graduação em Teologia e Doutorado em Filosofia pela Universidade Gregoriana em Roma. Ouça aqui 

 


  •  
  •