África em Verso: “Zong”, por Alberto Secama

0
  •  
  •  

Gravura de J. M. Rugendas

Por dentro da África

D´escravos cruelmente cheio
estava o habituado porão
de Zong, o maldito navio
da sanguinária baldeação.

Da costa da Ilha de São Tomé,
na margens do oeste africano,
a todo vapor, para o arquipélago jamaicano
Zong, o maldito navio
pôs-se a navegar
e o total de 133
Foi o magote feudatário
que ao abisso do Atlântico mar,
crudelíssimo capitão mandou atirar

Qual não fosse o surto deletério
por vontade própria, em seguida
ao mar, lançou-se uma dezena enfurecida!

Com grilhtetas amarradas nos tornozelos
ó Deus, quão horrível e brutal
enquanto o Atlântico, com seus próprios olhos
Via o trato que o homem dava ao seu igual!

Alberto Secama (escrito aos 04/09/2015)


  •  
  •