Manu Dibango morre em decorrência da Covid-19

0
  •  
  •  

Foto de Laurent Sabathé — em JAZZ IN MARCIAC.

Natalia da Luz, Por dentro da África

Manu Dibango, um dos maiores saxofonistas do mundo, morreu nesta terça-feira (24) em decorrência da Covid-19. Conhecido como “Papy Groove”, o músico camaronês de 86 anos estava internado em um hospital de Paris, na França, desde a semana passada. Até esta terça, segundo dados da Organização Mundial da Saúde (OMS), a doença havia infectado mais de 340 mil e provocado a morte de quase 15 mil pessoas em todo o mundo.

O anúncio do falecimento foi feito por Thierry Durepaire, empresário do artista: “Queridos pais, queridos amigos, queridos fãs, é com profunda tristeza que anunciamos a morte de Manu Dibango, o nosso Papy Groove, no dia 24 de março de 2020, aos 86 anos de idade, após ser diagnosticado com covid-19. O funeral acontecerá em estrita intimidade familiar, e uma homenagem lhe será destinada logo que possível”.

Chamado de África em miniatura por conta da diversidade geológica e cultural, Camarões faz fronteiras com Nigéria, Chade, República Centro-Africana, Guiné Equatorial, Gabão e República do Congo. Colonizada pela França e Inglaterra, a terra de Dibango tem mais de 200 grupos étnicos.

Na essência da música do camaronês, há lembranças de Fela Kuti, Ray Charles (pianista estadunidense), Louis Armstrong (trompetista estadunidense), Hugh Masakela (saxofonista sul-africano)… Ele diz que é muita gente que molda, contorna o seu trabalho, que transborda vitalidade, energia.

“Eu sou um músico de Camarões e sou livre. Eu não estou em uma cela. Posso tocar o que quiser. Quando você é músico e quer tocar música local, eu acho ótimo, mas seja livre para as outras”, disse o músico em entrevista ao Por dentro da África.

Um dos maiores sucessos dele é o afrobeat “Soul Makossa”, de 1972. Pergunto a ele como Soul Makossa mudou a sua vida. Ele responde dando o crédito para o público.
“Soul Makossa mudou minha vida porque foi um hit. Não fui eu quem fiz o hit, foi o público. Eu fui ao estúdio, registrei a letra, mas teve a magia do hit porque o público a elegeu!”

O hit de Dibango tem essência do afrobeat, estilo musical criado pelo nigeriano Fela Kutti. Fela levou o afrobeat para o mundo e influenciou não só nigerianos, mas gente de todo canto do mundo. Não só na música, mas em seus posicionamentos políticos, Fela era conhecido por ser um libertário.

Assista ao vídeo de Por dentro da África com Manu Dibango abaixo:

 


  •  
  •