“Big Five”: o orgulho da savana sul-africana

1
  •  
  •  

Kruger Park - Divulgação Natalia da Luz, Por dentro da África

(Artigo publicado no JB, em 2010)

São Paulo – “Nós temos um país colorido, rico e os Big Five!”, disse orgulhosa a vice-ministra de Turismo da África do Sul Thokozile Xasa durante uma de nossas conversas. Diante de tanta paixão, dá a sensação de que os Big Five sejam uma espécie de relíquia… E realmente, são! Mas a particularidade deles não está apenas no tamanho…

– São chamados assim por serem os maiores representantes dos mamíferos selvagens que habitam as regiões de savana, além da dificuldade em caçá-los –  conta o biólogo Anderson Mendes Augusto em entrevista.

Kruger Park - Divulgação O especialista explica que esses animais viviam espalhados por todo o continente até os predadores (nós, homens) reduzirem as suas populações. A arma de fogo trava uma luta covarde até mesmo para os mais selvagens…

Hoje, grande parte desses “gigantes” vive em parques nacionais sob proteção, o que não extingue, mas limita a atuação de caçadores. Anderson destaca que os cinco (com exceção do rinoceronte) podem ser encontrados em grande parte da África, menos no Deserto do Saara. E no Brasil, onde poderíamos apreciar os nossos Big Five?

– Esses animais só podem ser encontrados em zoológicos ou criadouros registrados no Ibama – explica o especialista do RioZôo (Zoológico do Rio de Janeiro) que fez uma listinha com os animais que seriam os Big Five brasileiros!

– Destacaria anta, onça-pintada, onça-parda, cervo-do-pantanal e capivara. Mas o critério utilizado seria por peso, pois a fauna brasileira de mamíferos é composta por animais de pequeno e médio porte em sua maioria.

Kamal Raj - Kruger Park - Divulgação A África do Sul se refere aos Big Five (búfalo, rinoceronte, elefante, leopardo e, claro, leão) como uma experiência imperdível para quem pisa no solo do país com cerca de 50 milhões de habitantes e de muitas emoções a oferecer.

A nação do arco-íris (apelido dado por Desmond Tutu, arcebispo emérito da Cidade do Cabo) abriga um dos territórios com maior biodiversidade do mundo. Nas savanas, os cinco são os personagens principais do cenário onde, indubitavelmente, o espírito africano se faz presente. Para eles, é um troféu mais valioso e ainda ilustram as notas de rand, a moeda do país!

Notas de 10, 20, 50, 100 e 200 rands Além de ter a garantia de encontrar os animais de norte a sul da África do Sul, o melhor é saber que é possível apreciar os cinco (em um mesmo local), como no Kruger Park (o safári mais famoso do mundo).

Sobre o ciclo de vida desses habitantes tão especiais, Anderson nos conta que o elefante é o com maior expectativa (80 anos), seguido do rinoceronte (45 anos), leão (30 anos), búfalo (26 anos) e leopardo (20 anos).

Com relação à interação entre as feras, ele nos explica que elefantes e rinocerontes não são muito tolerantes com outras espécies.

– Os búfalos até se permitem uma proximidade maior com outros herbívoros, diferente dos leões, que se mantêm em grupo, e do leopardo, que vive solitário. Na relação com os homens, o biólogo afirma que esse contato vem se tornando cada vez mais antagônico por conta da caça e da invasão do habitat.

– Como todo animal de grande porte e selvagem, eles oferecem muitos riscos. Podem atacar quando ameaçados – alerta.

Aproveitando o tema comportamento animal na selva, há um vídeo famosíssimo de um embate entre dois Big Five com com final surpreendente. Vale conferir!

Por dentro da África


  •  
  •  

1 COMENTÁRIO