Conselho de Segurança autoriza operações para conter tráfico humano em alto mar da costa da Líbia

0
134
Migrantes em um centro de detenção na cidade de Zawiya, Líbia. Foto: IRIN/ Mathieu Galtier
Migrantes em um centro de detenção na cidade de Zawiya, Líbia. Foto: IRIN/ Mathieu Galtier

Com informações da ONU

O Conselho de Segurança da ONU autorizou nesta sexta-feira (9) operações da União Europeia, e de cada país individualmente, para inspecionar e confiscar embarcações suspeitar de traficar pessoas no Mediterrâneo. A medida tem o intuito de salvar a vida de migrantes, vítimas de atravessadores, e conter as ações criminosas que operam em alto mar próximo da costa da Líbia.

Com 14 votos a favor e uma abstenção (da Venezuela), o Conselho adotou a resolução sob o Capítulo VII da Carta da ONU, que autoriza o uso da força. A aprovação permite autoridades dos países e organizações regionais a subir a bordo para inspecionar, confiscar e dispor de qualquer barco suspeito de ser usado para transportar migrantes de forma ilegal.

O Conselho condenou a continuação das tragédias marítimas no Mediterrâneo que deixaram centenas de mortos e observou que estas fatalidades eram “muitas vezes o resultado da exploração e falta de informação de organizações transnacionais criminosas, que facilitam o tráfico ilegal de migrantes através de métodos perigosos para ganhos pessoais e com um cruel desrespeito à vida humana”.

A resolução deve ser aplicada apenas quando exista “base sólida que levante a suspeita de que a embarcação esteja sendo usada para atravessar migrantes ou traficar pessoas da Líbia” e tendo em conta que “esforços de boa fé” foram feitos para conseguir o consentimento do Estado relacionado à embarcação.

A medida, no entanto, estabelece que esta autorização “não se aplica a navios que tenham o direito de imunidade soberana sob o direito internacional” e apenas pode ser empregada na atual situação vivenciada em alto mar na costa da Líbia.