“Angola Amordaçada”: Ativista lançará livro em Portugal

3
124

14627678_1562761500416676_150527801_nCom informações da editora Guerra e Paz

O ativista angolano Domingos da Cruz, condenado no processo 15+2, por tentativa de golpe de Estado, lançará em Lisboa, no dia 20 de outubro, o livro Angola Amordaçada – A imprensa ao serviço do autoritarismo.

Domingos da Cruz é um jornalista e acadêmico angolano, envolvido em ações de defesa dos direitos humanos e de reflexão sobre a situação social e política de Angola. Foi uma dessas ações, numa reflexão em que participaram outros 16 ativistas à volta de um texto de Domingos da Cruz, com o título Ferramentas para destruir o ditador e evitar nova ditadura – Filosofia Política da Libertação para Angola, que levou as autoridades angolanas a prendê-lo e a condená-lo.

Saiba mais: “O opressor é um só. Não há prisão para 27 milhões de pessoas”, diz Domingos da Cruz

O julgamento e a prisão geraram protestos em todo o mundo. A pena de Domingos da Cruz, condenado a 8 anos e 6 meses de prisão, foi a mais severa, tendo a prisão do luso-angolano Luaty Beirão sido a mais exposta em Portugal.

domingosO livro é uma reflexão centrada na imprensa angolana, sendo simultaneamente uma reflexão sobre os fundamentos da liberdade de expressão e de imprensa e um inventário, com abundante informação quantitativa, sobre o esmagador domínio e controlo dos órgãos de informação pública, televisão, rádio e jornais, pelo governo angolano e pelo partido no poder, o MPLA. Os capítulos mais chocantes do livro relatam casos individuais de perseguição e assassinato de jornalistas, ocorridos em Angola e nunca esclarecidos pelas autoridades angolanas.

Saiba mais: ‘África e Direitos Humanos: Um aliado para o debate sobre estereótipos e realidade’

DomingosDomingos da Cruz é licenciado em Filosofia e Pedagogia pelo Instituto Dom Bosco de Estudos Superiores, em Angola, e mestre em Ciências Jurídicas pela Universidade Federal da Paraíba, no Brasil. Jornalista, investigador universitário e professor, venceu o Prêmio Nacional de Direitos Humanos Ricardo de Melo, em 2009. É preso político, acusado de conspiração e tentativa de golpe de Estado. É autor de muitos livros, entre eles Ferramentas para Destruir o Ditador e Evitar Nova Ditadura, cuja leitura e discussão esteve na base do processo movido pelo Estado angolano contra ele e mais 16 ativistas.

Serviço: Bertrand do C.C. Picoas Plaza / Endereço: Rua Tomás Ribeiro Cruzamento c/Rua Viriato, Lisboa,

Horário: às 20h30 do dia 20 de outubro.

3 COMMENTS