Sudão: Protestos contra o presidente tomam as ruas do país

0
164

Omar Al-Bashir – General Assembly – UN

Por dentro da África

Desde o dia 19 de dezembro, sudaneses vêm tomando as ruas em protestos contra o presidente Omar al-Bashir, no poder há quase 30 anos. As manifestações começaram por conta do aumento no preço de produtos básicos como pão e gasolina e depois se intensificaram pedindo a saída imediata de al-Bashir.

“Os protestos pacíficos continuarão até que as demandas sejam atendidas e que o governo atual desista do poder. Os protestos no Sudão e entre a Diáspora Sudanesa em todo o mundo precisam continuar para garantir o sucesso da revolução”, disse ao Por dentro da África, a ativista sudanesa Ola Diab.

Protestors chant slogans in Khartoum on 31 December 2018 against Al Bashir and his government – Radio Dabanga

As manifestações acontecem em diferentes cidades como Cartum, Atbara, Port Sudan e Madani. Desde o início da mobilização, mais de 60 pessoas foram mortas, segundo a Anistia Internacional.

Al-Bashir é procurado pelo Tribunal Penal Internacional por cometer crimes contra a humanidade em Darfur. Assassinato, estupro e tortura são alguns dos crimes dos quais ele é acusado. Ele tomou o poder a partir de um golpe de Estado, em 1989, contra o então presidente Sadeq al-Mahdi. O seu último mandato terminará em 2020.

Al-Bashir também suprimiu todos os partidos políticos, censurou a imprensa e dissolveu o Parlamento. Em 4 de março de 2009 o Tribunal Penal Internacional emitiu mandado de prisão para a sua captura.

Até 2011, o Sudão era o maior país da África e do mundo árabe, quando o Sudão do Sul se separou após um referendo sobre a independência. Com mais de 40 milhões de habitantes, o Sudão é hoje o terceiro maior país do continente africano (após a Argélia e a República Democrática do Congo).