São Paulo: Universidade realiza curso “Pan-africanismo: tendências e desafios para o Brasil no século XXI”

1
102

Até dezembro, a Universidade Federal do ABC, em São Paulo, realizará o curso “Pan-africanismo: tendências e desafios para o Brasil no século XXI”. O ciclo de debates reunirá docentes, discentes e movimentos sociais.

1º Encontro: ORIGEM, UNIDADE E DIVERSIDADE DO PENSAMENTO AFRICANO

Palestrante: PROF. MURYATAN BARBOSA – UFABC/SP

Data: 30/06 (quinta-feira) às 14h

Local: UFABC SBC, Bloco Beta, Auditório 3

Mais informações sobre o curso e inscrições.

Programação dos encontros do curso:

30 de junho – Origem, unidade e diversidade do pensamento africano
Prof. Muryatan Barbosa – UFABC/SP

14 de julho – Pan-africanismo e libertacoes africanas
Prof. Bas ilele Malomalo – UNILAB/BA

18 de agosto – Fela Kuti: contracultura e (con)tradicao na
musica popular africana
Prof. Rosa Aparecida do Couto Silva

15 de setembro – Pan-africanismo e Uniao Africana
Prof. Acacio Almeida – UFABC/SP

20 de outubro – Pan-africanismo nas diasporas africanas
Prof. Carlos Moore (A confirmar a data)

17 de novembro Pan-Africanismo e as politicas publicas
pos Durban: tendencias e desafios para o Brasil no seculo XXI
Profa. Edna Roland – Prefeitura Municipal de Guarulhos (A confirmar)

01 de dezembro – SHMSW BAK: Uma atividade intelectual
para um novo paradigma da historia da Africa
Prof. Jacques Depelchin

08 de dezembro – Oficina de fechamentO: CORPO EM DIASPORA – PERSPECTIVAS
AFRO-ORIENTADAS PARA A EDUCACAO DO CORPO BRASILEIRO
Profa. Luciane Silva – Acervo africa – o menelick2ato / unicamp​

 

1 COMMENT

  1. Iris Terezinha Ferreira da Silva:”’Ah!!!Eu fico #feliz#de ver que tantas pessoas começaram a se interessar por um assunto que é nosso e que felizmente as pessoas negras já começam a fazer parte de uma instrução mais qualificada que não seja só trabalhos pesados dignos não dos país Africano,mas digno de todos,porém também fazer parte das Universidades e ter uma oportunidade para desejar algo melhor para as suas vidas.Já temos tantas pessoas negras em altas funções e eu nunca conseguia ver isto,assim sem me deixar muito triste,porque como fazer diferenças devido a cor da pele,e por isso trancafiá-los ,no menos,sem as oportunidades que são para todos!!!”’