Religiões: A matriz africana e seus reflexos afro-brasileiros

3
696

Manifestação religiosa em Gana - Mediaproject.orgPor Ademir Barros dos Santos

Por dentro da África

Sorocaba – Para entender as religiões, é preciso, antecipadamente, entender o que é teogonia, ou cosmogonia, palavras que, juntas, apontam para o estudo que revela as relações entre os deuses, bem como a interpretação do universo pela visão religiosa. Isto posto, pode-se passar, a seguir, pela apresentação de algumas das principais visões teogônicas que, de alguma forma, influenciam a visão ocidental atual.

1.1. Gregos

Presume-se que foi Hesíodo quem reuniu, em seu poema Teogonia, os mitos de seu tempo, de onde se extrai a base da religião grega, segundo a qual existiriam, primordialmente, Gaia, a terra, convivendo com Tártaro, a escuridão primeva, e Eros, a atração amorosa; deles, foram gerados Hemera, o dia, Nix, a noite, Urano, o céu, e Ponto, a água primordial.

A seguir, descendendo de Urano e Gaia, surgem os Titãs, Titânides, Cíclopes e outros seres; o titã Chronos, vencendo Urano, toma seu lugar; mas termina vencido pelo próprio filho, Zeus, que o destrona e se torna o mais poderoso dos deuses, pai de todos os homens, além de senhor das chuvas, raios e tempestades.

Zeus, representando o Céu, casou-se com Hara, representante da Terra, provocando, assim, a união entre estes dois universos.

1.2. Judeus e cristãos

Segundo o Gênesis, primeiro livro da Bíblia, Deus criou Adão do barro, e deu-lhe vida. A seguir, deu-lhe Eva, a mulher com o qual veio a ter três filhos: Caim, Abel e Set.

Caim, matando Abel, foi amaldiçoado e banido da família; na descendência de Set vieram Noé, Abrão, Isaque e Jacob/Israel, patriarcas dos israelitas e fundadores do judaísmo, de onde provém, há mais de dois mil anos, o cristianismo.

Foto: Alliance DPA1.3. Africanos

A África, ao norte do Saara, foi totalmente dominada pelos muçulmanos por volta de 700 d.C.; mas, ao sul do deserto, permaneceu viva a religião original, animista, especialmente aquela praticada na costa atlântica da África, entre o entorno do Golfo da Guiné e Angola, região de onde provêm as manifestações religiosas negras das Américas.

Nesta teogonia, a base yorubana conta que Olodumaré, o Senhor Supremo do Destino, encarregou Oduduwa de criar a vida humana; este uniu-se a Olokun, gerando três filhos, que tomaram os nomes de Ogum, Ishedale e Okanbi.

Da linhagem de Ogum, nasceram os orixás que não viveram; da princesa Ishedale nasceram as deusas, conhecidas por Ayabás; de Okanbi, nasceram os reis e heróis deificados, dos quais alguns são conhecidos no Brasil, hoje, como deuses/orixás.

Para prosseguir, é necessário compreender o significado dos nomes acima citados:

Olodumaré Olé = senhor; Odu = destino; Maré = supremo Senhor supremo do destino
Odudwa Odu = fonte, destino; Da = geradora; Iwá = vida Fonte geradora da vida
Olokun Oló = senhora; Okun = mar Senhora do mar

Para ler a pesquisa na íntegra, clique aqui Religiões: A matriz africana e seus reflexos afrobrasileiros

Ademir Barros dos Santos é coordenador da Câmara de Preservação Cultural do Núcleo de Cultura Afro-Brasileira – NUCAB – da Universidade de Sorocaba – UNISO.

Por dentro da África

3 COMMENTS

  1. A ignorância cultivada pelos filósofos e cientistas eurocentristas e brasileiros que não gostam do continente Afrikano, daí partirei para os estudantes preguiçosos que não leem sobre o continente afrikano. Existem diversos meios para pesquisar, mas só porque MEC , não cobra nas provas e vestibulares e ninguém se importa. Mavenda Nuni ya Áfrika!