Em Moçambique, Jacob Zuma pede desculpas pela onda de violência xenófoba

0
50

Captura de tela 2015-05-20 às 18.33.27Por dentro da África

Rio – Em visita ao vizinho Moçambique, nesta terça-feira (19), o presidente da África do Sul, Jacob Zuma, pediu desculpas pela onda de violência xenófoba que fez com que milhares de moçambicanos deixassem suas casas nas cidades sul-africanas.

Veja mais: Xenofobia e a retórica da inclusão e direitos humanos

O desemprego e a pobreza são vistos como estimuladores da violência. Desde o fim do regime do apartheid, há 21 anos, a África do Sul tem atraído milhões de migrantes que buscam melhores oportunidades na segunda maior economia do continente (a primeira é a Nigéria).

A xenofobia foi identificada como um grave problema na África do Sul antes mesmo de a primeira onda de ataques xenófobos entrar em ação, em 2008. Ela foi ressaltada, pela primeira vez como um problema no país, em um relatório de 2007.

Veja mais: Carta aberta de Mia Couto a Jacob Zuma

Embora condene a violência, o governo da África do Sul também tem reprimido uma série de ataques prendendo mais de 1 650 imigrantes ilegais. Mais de 400 moçambicanos foram expulsos na sexta-feira e outros 427 estão programados para ser deportados em breve.