Eleições na Guiné-Bissau: Veja balanço da primeira votação após o golpe de 2012

1
54

Funcionários visitam comunidade guineense para explicar os procedimentos para as eleições. Foto: PNUD Guiné-Bissau
Foto: PNUD Guiné-Bissau

Bissau – Entre os dias 9 e 13 de abril, o Grupo das Organizações da Sociedade Civil para as Eleições (GOSCE) acompanhou as ações desenvolvidas no âmbito do processo eleitoral. As informações recolhidas pelos cerca de 400 monitores em todo o território nacional ajudaram a produzir o relatório abaixo:

 

  1. A campanha eleitoral (finalizada com as eleições do último domingo), em particular os comícios realizados por partidos políticos e candidatos presidenciais, decorreram de forma pacífica sem registros significativos de incidentes de ordem político-partidária. De modo geral, os discursos dos candidatos e partidos transmitiram mensagens pacíficas e focadas em suas agendas políticas.
  2. O esforço de equidade e imparcialidade dos meios do comunicação monitorizados – nomeadamente as rádios privadas e comunitárias – privilegiaram a neutralidade no tratamento dos candidatos e partidos políticos.
  3. A complementaridade das ações de educação cívica promovidas pela Sociedade Civil e pela Comissão Nacional de Eleições permitiram esclarecimento dos cidadãos eleitores relativamente ao processo eleitoral.

No que diz respeito ao desenvolvimento do dia da eleição e à abertura das assembleias de voto, os monitores informaram que cerca de 93% das assembleias de voto, abriram na hora prevista e o processo decorreu relativamente bem.

Os monitores registraram ainda 13 incidentes relativos à falta de materiais de voto (como boletins de voto) que dificultaram o processo de votação. Em todo o território nacional, foram registrados 84 incidentes, como situações de incompatibilidade dos eleitores recenseados e listas de voto.

A Comissão Nacional de Eleições (CNE) prevê que os resultados provisórios das eleições presidenciais e legislativas de domingo possam ser divulgados nesta quarta-feira. As eleições são as primeiras após o golpe que, no dia 12 de abril de 2012, um autodenominado “Comando Militar” tomou o poder destituindo o presidente interino, Raimundo Pereira, e o primeiro-ministro, Carlos Gomes Júnior.

ONU parabenizou a Guiné-Bissau

O secretário-geral das Nações Unidas, Ban Ki-moon, parabenizou, nesta segunda-feira, o povo da Guiné-Bissau por sua participação ordeira e pacífica nas eleições presidenciais e legislativas.

“Com um alto índice de participação, a população demonstrou claramente seu desejo pelo retorno da ordem constitucional ao seu país”, disse o porta-voz de Ban, Stéphane Dujarric. “O secretário-geral pede aos organizadores para que garantam a continuidade dos processos eleitorais e agradece aos parceiros globais por seu vital apoio técnico e financeiro.”

Ban Ki-moon reiterou “seu pedido a todos os candidatos para que respeitem os resultados oficiais, assim que forem anunciados pela Corte Suprema, e que sigam os existentes preceitos legais para a resolução de quaisquer disputas eleitorais”, e afirmou que a ONU seguirá com seu apoio à Guiné-Bissau, à medida que o país caminha para uma maior estabilidade política.

Com informações da ONU e do Grupo das Organizações da Sociedade Civil para as Eleições

 


1 COMMENT