ONU: Conflitos armados deixam mais de 28,5 milhões de crianças fora da escola

0
72

Estudantes de escola primária na República Democrática do Congo levantam as mãos para responder perguntas. Foto: Banco Mundial/Dominic ChavezRio – Em torno de 28,5 milhões de crianças em países afetados por conflitos estão fora da sala de aula, já que dezenas de milhares de escolas foram atacadas ou estão ocupadas por forças armadas, alertou a ONU e seus parceiros nesta segunda-feira. A situação aumenta o risco de que essas crianças nunca mais voltem à escola.

Em todo o mundo, mais da metade das 57 milhões de crianças em idade escolar primária que estão fora da sala de aula vivem em países marcados por guerras e conflitos e têm seu direito à educação negado. Esse número aumentou se comparado a 2008, quando 42% estavam fora da escola primária.

A reunião desta segunda-feira foi convocada para apoiar a Iniciativa Global “Educação em Primeiro Lugar” do secretário-geral da ONU, Ban Ki-moon, lançada há um ano e presidida pelo ex-primeiro-ministro britânico, Gordon Brown, hoje enviado especial da ONU para a educação global.

O evento – chamado de “A Educação Não Pode Esperar” – pediu mais planejamento para prevenir e integrar ações emergenciais, mais financiamento para a educação e a proteção de alunos e professores.

A chefe executiva da Parceria Global para a Educação, Alice Albright, afirmou que a educação em países assolados por conflitos está subfinanciada. Segundo ela, apenas 1,4% da ajuda humanitária vai para esse setor.

– Devemos pelo menos dobrar este montante, torná-lo mais eficaz e melhorar a coordenação entre governos, doadores e agências humanitárias – disse ela, ressaltando que a educação de qualidade exige investimento e planejamento para dar às crianças que vivem em alguns dos lugares mais difíceis do mundo esperança e oportunidade para moldar o seu futuro.

Com informações da ONU