Caça ilegal em parque nacional da República Centro-Africana preocupa UNESCO

0
76

República Centro-Africana - Foto: Andrea Turkalo - ONURio – A Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (UNESCO) expressou profunda preocupação com o aumento da caça ilegal, violência armada e destruição no Parque Nacional da República Centro-Africana (RCA), Dzanga-Sanga, que está na lista de Patrimônios Mundiais da instituição desde 2012.

Em abril, homens vestindo uniformes realizaram diversos ataques ao redor do parque, saqueando equipamentos do edifício da administração e destruindo as instalações. O parque faz parte do Sítio Trinacional Sangha (TNS), com uma área total de 750 mil hectares, e é o lar de especies únicas como gorilas-da-planície e elefantes-da-floresta. A UNESCO apoia o local há quase dez anos, com o financiamento da Fundação das Nações Unidas, o Fundo Francês para o Meio Ambiente Mundial e da Comissão Europeia.

A diretora-geral da UNESCO, Irina Bokova, disse que está alarmada com o aumento da caça ilegal na África, onde são mortos cerca de 30 mil elefantes a cada ano. Muitas propriedades do Patrimônio Mundial na África Central relataram recentemente uma diminuição significativa em suas populações de mamíferos grandes e elefantes. Os especialistas temem que grupos organizados da caça ilegal estão se aproveitando da atual situação política na África para expandir suas operações na região.

Com informações da ONU