Bahia: Legado de Lélia Gonzalez é tema de exposição no Pelourinho

0
52

Lelia - Divulgação
Lelia – Divulgação

Com informações da Secretaria de Cultura do Estado da Bahia

Precursora do feminismo negro no Brasil, a vida e influência da intelectual, professora, militante e ativista política Lélia Gonzalez é tema de uma programação especial no Pelourinho, Salvador, Bahia.

A abertura da exposição “Lélia Gonzalez: O Feminismo Negro no Palco da História” acontece na próxima terça-feira, 25 de julho, às 14h, data do Dia da Mulher Negra Latino Americana e Caribenha. Já na sexta-feira, 28, às 16h, sete mulheres negras consideradas referências no meio cultural e da militância se encontram para debater os “Avanços nas conquistas a partir do legado de Lélia Gonzalez”. Toda a programação acontece na sede do Centro de Culturas Populares e Identitárias (CCPI), casa 12, no Largo do Pelourinho.

Também na abertura da exposição, 25 de julho, e em comemoração ao Dia da Mulher Negra Latino Americana e Caribenha, haverá o Sarau das Pretas, comandado pelo Slam das Minas BA. A ação consiste num encontro em que as poetas demonstram seus desempenhos com os versos, tudo isso com muita força, beleza e adrenalina. O evento é uma parceria da SecultBA com o Instituto Odara.

Penúltima filha entre 18 irmãos, vinda de origem humilde, única da casa a ter ido além do ensino superior, Lélia Gonzalez foi a personificação de uma mulher à frente do seu tempo, inspirando outras mulheres de sua geração e também as gerações seguintes. Sete destas mulheres negras que mantém o legado de Lélia estarão reunidas para conversar sobre os avanços nas conquistas a partir de tudo o que ela deixou. São elas a diretora do CCPI e co-fundadora do Movimento Negro Unificado e do Ilê Aiyê, Arany Santana; a militante negra, feminista, psicóloga e perita criminal Vanda Menezes; a professora, coreógrafa e dançarina do Balé Folclórico, Nildinha Fonseca; a presidente do projeto Didá, Débora Souza; a empreendedora de estética e Rainha do Ilê em 1980, Gerusa Menezes; a professora universitária e militante Ana Célia; e a jornalista, apresentadora de TV e militante Wanda Chase. O debate será na sexta-feira, 28, também na sede do CCPI, às 16h, e o acesso é gratuito.

O Centro de Culturas Populares e Identitárias (CCPI) da Secretaria de Cultura do Estado da Bahia (SecultBA) é responsável pela execução, proteção e promoção das políticas públicas de valorização e fortalecimento das manifestações populares e de identidade, orientadas de acordo com o pensamento contemporâneo da Unesco e do Ministério da Cultura. Seu campo de atuação contempla a cultura do sertão, de matrizes africanas, ciganas e indígenas, LGBT, infância e idosos. Coordena o projeto Pelourinho Cultural, responsável pela programação artística dos largos do Pelourinho e suas grandes festas populares.

Serviço:

Exposição Lélia Gonzalez: O Feminismo Negro no Palco da História

Abertura: 25 de julho, 14h

Atração: Slam das Minas – BA: convida Sarau das Pretas

Visitação: 25 de julho a 31 de julho de 2017

Local: Hall do Centro de Culturas Populares e Identitárias, Casa 12, Largo do Pelourinho

Funcionamento: segunda a sexta, 08h30 às 12h e 13h30 às 17h30

Gratuito

Mesa redonda: Avanços nas Conquistas a partir do legado da Lélia Gonzalez

Participantes: Arany Santana; Vanda Menezes; Nildinha Fonseca; Débora Souza; Gerusa Menezes; Ana Célia; Wanda Chase.

Local: Salão principal do Centro de Culturas Populares e Identitárias, Casa 12, Largo do Pelourinho

Data: 28 de julho, 16h

Gratuito