Bahia: Alunos iniciam ocupação simbólica na UNILAB

0
446
UNILAB

CARTA ABERTA – Das atitudes às resistências simbólicas nos Malês

Nós, estudantes em OCUPAÇÃO do campus dos Malês (BA), por meio desta carta aberta, apresentamos os principais motivos para a ocupação simbólica do nosso campus e convidamos os/as demais estudantes a se juntar a esta luta.

Entender a Ocupação Simbólica é desmistificar várias ideias pré-concebidas durante o surgimento deste ato de resistência.  A ocupação dos Malês se baseia em análise da conjuntura política do Brasil, na qual percebemos a necessidade de evidenciar insatisfações em não nos sentirmos contemplados com as atuais posturas e decisões do atual governo. Esse pensamento é compartilhado por centenas de milhares de estudantes secundaristas e universitários por todo o Brasil.

Entre as práticas de retrocesso e inconstitucionalidade, citamos a reforma do ensino médio, a escola sem partido e a PL 55/PEC 241, que visa ao congelamento de gastos públicos por vinte anos, atingindo diversos setores, principalmente a saúde e a educação públicas, atingindo diretamente as camadas mais pobres da nossa sociedade; com isso, a PL 55 afeta diretamente a nós, população preta e pobre, desrespeitando e infringindo direitos conquistados ao longo de mais de quinhentos anos de luta.

Como há estudantes que estão em fase de defesa de TCCs, neste momento, seria inviável a paralisação das atividades. No entanto, diante da relevância da defesa dos direitos mencionados, compreendemos que são necessárias ações que deem maior visibilidade à nossa reivindicação. A Ocupação Simbólica desse campus, tanto política quanto física, visa mostrar ao Brasil que não nos sentimos parte desse governo ilegítimo e que resistiremos a ele!

Considerando as especificidades geopolíticas do campus dos Malês, iremos apresentar agenda e propostas para toda a comunidade acadêmica em uma roda de conversa estudantil, afim de construir juntos propostas de mobilização permanente, afinal, como disse o célebre da música popular brasileira, Geraldo Vandré, “esperar não é saber, quem sabe faz a hora não espera acontecer”. Portanto, convidamos todos da comunidade de estudantes a construir essa resistência em nome do Malês.

O que significa ocupar as escolas e universidades? 

Em todo o Brasil, há 600 escolas e universidades ocupadas em protesto à Proposta de Emenda Constitucional (PEC) 55, que impõe um teto aos gastos públicos por 20 anos, e contra a Reforma do Ensino Médio.

 

Convidamos todos estudantes para uma roda de conversa, que ocorrerá no dia 29 de novembro, às 17h30, no auditório deste campus.

Programação 

*Segunda 28-11-2016

13:00 – Entrelaçados (dinâmica de grupo na quadra);

17:30 – Roda de conversa com os estudantes dos Malês para a construção coleࢢva de uma

carta aberta ao reitor;

20:00 – Reunião com a direção do campus;

23: 00 – Sessão madrugadão: Zumbi somos nós (2007) dirigido pela Frente 3 de fevereiro;

 

*Terça- feira: 29-11-2016

08:00 – Mobilização nas escolas e comunidades para falar sobre o projeto da Unilab visando

aࢢngir os estudantes do 3o ano doben;

15:00 – Sarau Literarte vinculado à ocupação;

20:00 – Terapia do Riso;

23:00 – Sessão madrugadão: Mandela e Fidel: um documentário sobre dois irmãos (2013) de

Estela Bravo e Ernesto Mário Bravo;

 

*Quarta-feira: 30-11-2016

17:00 ás 18:30H – Dinâmica em grupo e esporte na quadra;

23:00 – Sessão madrugadão: Anjos Rebeldes (2015) de Bianca Vasconcellos;