Papa Wemba, o “rei da rumba congolesa”, morre durante festival na Costa do Marfim

0
141

Papa Wemba - Divulgação
Papa Wemba – Divulgação

Por dentro da África

Papa Wemba, um dos maiores músicos congoleses morreu aos 66 anos depois de desmaiar durante o Festival des Musiques Urbaines d’Anoumabou, neste sábado, em Abidjan, na Costa do Marfim. Wemba era conhecido por levar ao palco uma mistura de sons cubanos e ocidentais, que se tornou um dos estilos musicais mais populares da África.

Wemba, que ficou conhecido como o pai da rumba ou soukous, um gênero popular da música derivado da rumba congolesa na década de 1960 e que ganhou popularidade na década de 1980 na França. O estilo difere um pouco da rumba mais tradicional porque, entre outras características, possui sequências de dança mais longas.

Wemba não influenciou apenas a música, mas o movimento Sapeurs ( Société des Ambianceurs et des Personnes Élégantes), que reunia jovens do sexo masculino mestres na arte de bem vestir.

Nascido em 1949, Wemba (Shungu Wembadio Pene Kikumba), começou sua carreira cantando em corais religiosos. Ele também fez participações em filmes como A Vida É Bela (1987) e Jogos selvagens (1997).

Nascido em Lubefu, na República Democrática do Congo, ele rodou o mundo gravando com diversos artistas como Peter Gabriel. Ele era imensamente popular na África e por isso convidado para grandes eventos musicais, como o concerto em Londres para o aniversário de 90 anos de Nelson Mandela.