José Ramos Horta defende fortalecimento da comunidade lusófona

0
120

José Ramos Horta - ONU Rio – O Secretário das Nações Unidas para a Guiné-Bissau e Prêmio Nobel da Paz, o timorense José Ramos Horta, defendeu na Academia Brasileira de Letras (ABL), o fortalecimento da Comunidade de Países da Língua Portuguesa (CPLP), para dinamizar a integração entre povos lusófonos.

Na mesa-redonda, coordenada pelo acadêmico e embaixador Alberto da Costa e Silva, Ramos Horta, não poupou elogios ao diplomata brasileiro Sérgio Vieira de Mello, falecido em Bagdá, no dia 19 de agosto 2003, devido à explosão de uma bomba no Hotel Canal, que abrigava funcionários do Hotel Canal da ONU.

O encontro realizado na ABL, aconteceu no Rio de Janeiro no dia 15 de agosto para o lançamento do livro Timor Amor, do poeta português Ruy Cinatti. Trata-se de uma antologia organizada por Vasco Rosa. Nela, estão alguns de seus escritos sobre Timor, onde ele desenvolveu intensa atividade de reconhecimento da ilha, além de explorações botânicas e florestais.

Além do acadêmico Alberto da Costa e Silva e de José Ramos Horta, participaram da mesa-redonda, profissionais como Letícia Villela Lima da Costa e Gisela Pinto Zincone, da editora Gryphus, responsável pela publicação do livro; o embaixador de Portugal, Antonio de Souza e Silva; o embaixador Domingos de Souza, representante de Timor no Brasil e o cônsul de Portugal, Nuno Ramos.

Com informações da Academia Brasileira de Letras