Editora brasileira lança série de livros sobre a história de Kiriku

13
940

No próximo dia 19, a editora Viajante do Tempo lançará, na Feira de Livros do Palácio do Catete, no Rio de Janeiro, “Kiriku e a feiticeira” e “Kiriku e o colar da discórdia”. Os livros são baseados no filme “Kiriku e a feiticeira”, distribuído em mais de 50 países.

A série Kiriku é um verdadeiro mergulho na rica cultura africana que integra o patrimônio étnico e cultural brasileiro. A partir desses dois primeiros livros , a editora pretende fazer múltiplas abordagens sobre cultura africana, meio ambiente, costumes sociais, preconceitos, escravização, generosidade, respeito, determinação, coragem e tolerância.

Saiba mais sobre a história de Kuriku aqui

KIRIKU E A FEITICEIRA

Sinopse : Tão logo nasce, o pequeno Kiriku decide livrar sua aldeia do domínio maléfico de Karaba, a feiticeira que secou a fonte d’água da aldeia e sumiu com aqueles que a enfrentaram. Começa assim uma série de aventuras emocionantes que irão levar esse incrível heroi africano, o esperto e valente Kiriku, ao coração da montanha proibida… Cantam as crianças da aldeia: Kiriku é pequeno, mas ele pode muito! Kiriku não é grande, mas ele é valente!

colar

KIRIKU E O COLAR DA DISCÓRDIA

Sinopse: Uma aventura emocionante do incrível heroi africano, o pequenino, esperto e valente Kiriku. Um colar de ouro é dado de presente pela malvada Karaba, a feiticeira, para ser usado pela aldeã mais honrada da aldeia. Isso gera discórdia, pois o colar atrai a cobiça e a raiva de todas as mulheres da aldeia. Esse conflito requer o talento e criatividade de Kiriku, que vê adultos se comportando como pessoas imaturas e egoístas.

Para saber mais sobre o lançamento, clique aqui

Serviço: Feira do livro no Palácio do Catete, Rio de Janeiro

 

 

 

13 COMMENTS

  1. Esse Neto fez um comentário completamente contraditório. Que cara confuso hein? Não existe forçassão de barra, existe o interesse de tornar acessivel que por muito tempo foi negada e escondida. Va se informar mais pq vc é um grande ignorante!!!

    • Calma! Só do que ele precisa é de informação e não de críticas, afinal, ele é fruto justamente da alienação de quem inventou e colaborou com a escravidão, e se ele ainda não entendeu não tem culpa por isso, é dever de quem sabe explicar… Assim é uma atitude mais fácil e inteligente, não acha? Abç

  2. E bom saber que essa grande história será espahada novamente, à uns anos atrás quando era criança eu assiti esse filme e me encantei e hoje aos meus 16 anos fico muito feliz em poder reler a história uma cultura esbelta, uma riqueza que o povo da África tem.

  3. Eu não entendo porque se força tanto sobre a cultura e religião africana, eu respeito a cultura e Historia dos escravos africanos, porem essa forçassão de barra em impor a cultura, e costumes e religião de matriz africana é muito ruim. Lembrando que somos um país de maioria Cristã esmagadora, e culturalmente somos de colonização europeia e nossas raizes são de esmagadora maioria descendência europeia. Mas eu admito que a cultura africana é sim deslumbrante e fascinante e deve ser disponibilizado a todos para estudo histórico, e motivo de vergonha para a humanidade o que castigo imposto por seres humanos de cor branca sobres os seres humanos negros. E na minha humilde opinião não existem raças de pessoas e sim pessoas com cores de pele e cultura diferentes.

    • Caro Neto, não vejo comentários assim quando pela trilionésima vez lançam um filme novo de contos de fada onde a pele branca está em destaque.
      Porém no meu ponto de vista não se tratar em forçar uma coisa ou outra, pois nesse momento ainda existem muitas crianças negras que não sabem qual cultura escolher, mesmo por que não tem opção de escolha. Ações como esta não impõe e nem força ninguém a nada, quem não quiser seguir não será queimado, nem apedrejado, muito menos excluído. terão apenas informação e o “direito de escolherem” o que querem para suas vidas e o que querem para si e para.
      Já que você diz que respeita, então respeite!!!