Conheça 10 jovens sudanesas inspiradoras

0
237

Por Ola Diab, Por dentro da África
(artigo completo no site de Ola Diab)

Desde a década de 50, as mulheres sudanesas vêm se mostrando pioneiras em vários campos como educação, ciência, política e engenharia. Sudanesas como Khalda Zahir (1927-2015), Fatima Ibrahim (1933-2017) e Fatima Abdel Mahmoud (em 2010, foi a primeira candidada à presidência na história do Sudão) serão lembradas por muitas gerações. Inspiradas por essas grandes mulheres, jovens notáveis vêm provocando um grande e positivo impacto na vida de suas comunidades.

yassmin-abdel-magied
Yasmin Abdel-Magied – Divulgação

Yasmin Abdel-Magied é engenheira mecânica e ativista social. Aos 16 anos, criou uma organização chamada Youth Without Borders (Jovens Sem Fronteiras), capacitando os jovens a trabalhar juntos para uma mudança positiva em suas comunidades. Pelo seu trabalho de empoderamento de jovens, mulheres e pessoas de origens cultural e linguisticamente diversas, Yasmin recebeu dezenas de prêmios na Austrália, onde ela vive. Em 2012, foi nomeada a ‘Melhor Líder do Ano’, pela Australian Financial Review.

maha-jaafar
Maha Jaafar – Divulgação

Baseada nos Emirados Árabes Unidos, Maha Jaafar (com nacionalidades sudanesa e iraquiana) é uma comediante. Embora tenha se formado em odontologia pela Universidade de Ajman, Jaafar é uma das estrelas do YouTube elogiada pela habilidade em unir as culturas árabes personificando diferentes sotaques regionais. Seu sucesso no YouTube, que só começou há dois anos, a levou para programas de comédia na Jordânia, Líbano e Inglaterra. Ela também teve a oportunidade de entrevistar Malala Yousafzai, ganhadora do Prêmio Nobel da Paz. Jaafar alcançou recentemente o marco de 100 mil inscritos em seu canal no YouTube.

dalia
Dalia Haj-Omar- Divulgação

Dalia Haj-Omar, que vive na França, é uma ativista dos direitos humanos, escritora e especialista em gestão de conflitos, que trabalhou extensivamente na região MENA. Ela possui mestrado em Desenvolvimento Internacional e Desenvolvimento Econômico (Universidade Johns Hopkins) e outro em Estudos Internacionais da Paz (Universidade de Notre Dame). Ela também foi associada ao GIRIFNA, Movimento de Resistência Não Violento do Sudão. Suas reportagens e artigos de opinião apareceram em publicações como o The New York Times e Foreign Affairs.

omnia
Omnia Shawkat – Divulgação

Baseada no Sudão, Omnia Shawkat é co-fundadora da revista cultural Andariya, que trata de temas relacionados à política, cultura, sociedade e ativismo. Por meio de Andariya, Shawkat construiu uma plataforma digital bilíngüe com foco na audiência do Sudão e Sudão do Sul. Em 2017, Shawkat foi nomeada uma das “Mulheres Tecnológicas Inovadoras na África” ​​pela IT News Africa. Shawkat nasceu no Sudão, mas viveu nos Emirados Árabes Unidos, Catar, Líbia e Egito. Ela estudou biologia no Egito e Meio Ambiente e Gestão de Recursos na Holanda.

mai-khidir
Mai Khidir – Divulgação

Baseada no Sudão, Mai Khidir é a fundadora da Al Sudaniya Mentoring, uma organização que busca empoderar, engajar e inspirar jovens sudanesas entre 17 e 22 anos no Sudão por meio de um programa de mentoria on-line de seis meses e desenvolvimento profissional. Khidir formou-se em Ciências Farmacológicas e descobriu que sua verdadeira paixão era causar um impacto positivo na saúde das pessoas.

muhga-eltigani
Muhga Eltigani – Divulgação

Muhga Eltigani é co-fundadora da startup NaturAll Club, uma empresa de e-commerce com produtos para cabelo voltados para mulheres negras e com cabelos cacheados. A empresa começou a partir de um investimento de US$ 18 mil em economias pessoais dela. Antes do NaturAll Club, Eltigani decidiu cortar o cabelo e usar apenas produtos naturais feitos por ela. Em seguida, começou um canal no YouTube sobre sua transformação emocional e desafiou os espectadores a fazerem o mesmo.

huda-shafig
Huda Shafig – Divulgação

Huda Shafig juntou-se ao Grupo de Trabalho para o Engajamento das Mulheres no Processo de Paz (com mulheres do Sudão e Sudão do Sul) e atuou como conselheira do governo em um processo de diálogo nacional mais transparente, responsável e inclusivo – aumentando as vagas reservadas para mulheres de 10 para 200 assentos (29%). Desde 2013, Shafig trabalha para cumprir o acordo de paz entre o Sudão e o Sudão do Sul, servindo como um canal entre mulheres e altos funcionários dos dois países. Ela entrevistou 100 residentes ao longo da fronteira entre o Sudão e o Sudão do Sul para comunicar suas prioridades aos decisores políticos.

emtithal-mahmoud
Emtithal Mahamoud – Divulgação

Emtihal Mahmoud é uma poetisa e ativista da paz que ganhou o campeonato Individual de Poesia Mundial de 2015. Mahmoud nasceu em Darfur e se mudou com sua família para o Iêmen quando ainda era pequena, e depois para os EUA, em 1998. Como poetisa, oradora e ativista, Mahmoud apresenta poesia para conscientizar e ajudar a combater o genocídio em Darfur. Ela estava na lista da BBC das ‘100 mulheres mais inspiradoras do mundo em 2015’. Mahmoud embarcou recentemente em uma caminhada de paz de dois meses, com 1290 km, da capital de al-Fashir, no norte do Darfur, até a capital do país, Cartum.

assil-diab
Assil Diab – Divulgação

Assil Diab é uma artista visual sudanesa. Ela se formou em Virginia Commonwealth University em design gráfico. Antes de iniciar sua carreira como freelancer, Diab trabalhou no Instituto de Cinema de Doha (DFI) e no Canal Al Jazeera Children. Conhecida como Sudalove, o seu trabalho tem como proposta quebrar os equívocos sobre o Sudão e romper os limites estabelecidos para as mulheres sudanesas, em particular.

Reem Abbas
Reem Abbas – Divulgação

Baseada no Sudão, Reem Abbas é uma jornalista freelancer sudanesa e vencedora do prêmio Blogger 2011 por conta do seu compromisso em abordar direitos humanos no Sudão. Seus artigos sobre direitos humanos e comentários sociopolíticos foram apresentados em diversos canais internacionais. Como pesquisadora, ela passou anos trabalhando com refugiados sudaneses no Egito e publicou um perfil sobre um desses personagens no livro “Voices in Refugee ”, editado pela American University no Cairo Press.