Coluna África em Verso: “Manguxi-Neto”, por Mavenda Nuni ya Áfrika

0
99
Agostinho Neto – Foto: Aliance.DPA

Mavenda Nuni ya Áfrika

Por dentro da África

Foste embora!

Dizem que aí está sofrendo

Ocultaram amor por sua nação

Nação sem lágrimas, só sangue vivo!

Vivo sonhando Neto pela sua sensibilidade poética,

pela sua poesia de humores dos horrores do passado e do presente.

Das aspirações das cadeias para a sua glória,

Espero que ouças o povo que te chora (massanga mane)

Al haly – nossos corações

Para Agostinho Neto, poeta maior, e eu, poeta menor:

traíram o seu brilho!

Saudades dos teus passos

Inspira-nos para a dignidade

Que viva aos deuses e poéticas

Sonhei-te, e me disseste que venderam a nação!

Neto Agostinho para os afrikanos

Oh muxima yetu, oh Nzambi wiza kuayetu

Salva Angola!

À sua mão rogamos, feito calunga

Enviarei-te aos faraós e Ntotilas junto com Ngolas

Ekuikuis e Mandume glorificam a sua alma

Mbengo ao Kaxicane, ao mar rochoso desta nação

Se os pais da nação safada,

Escutarem e operarem dentro do meu poema,

não esqueçam a seu poder artístico…

Escrito em 2013 por Mavenda Nuni ya Áfrika

Por dentro da África