África do Sul: escritora Nadine Gordimer morre aos 90 anos

0
160
Foto: dailymaverick.co.za

Rio – Nadine Gordimer, uma das mais respeitadas escritoras da África do Sul e do mundo, morreu neste domingo aos 90 anos. Vencedora do Nobel de Literatura de 1991, a ativista anti-apartheid colecionou mais de 30 títulos, em sua maioria sobre a deterioração social do regime de segregação racial do seu país(1948/1994).

De acordo com o comunicado da família enviado à imprensa, Nadine faleceu durante o sono em sua casa, em Johanesburgo.

Desde o romance de estreia, The Lying Days (1953), até The Conservationist (1974), obra com que foi vencedora do Booker Prize de 1974, a sul-africana se dedicou a dramatizar as difíceis escolhas morais surgidas em um país marcado pela segregação racial. Suas obras foram traduzidas para mais de 30 idiomas.

Nadine e Nelson Mandela – Foto: Sunday Times

Nadine teve algumas obras proibidas pelo regime do apartheid, fonte de inspiração que a aproximou das condições de vida deploráveis ​​dos trabalhadores negros. Ela foi uma das primeiras pessoas que Nelson Mandela escolheu para atender após ser libertado da prisão Robben Island, em 1990.

Algumas de suas famosas frases retrataram o seu compromisso com a luta:

“Nos livros, eu usava a vida em torno de mim e a vida ao meu redor era racista”.

“Eu teria sido um escritor em qualquer lugar, mas no meu país, a escrita significava enfrentar o racismo”.

Por dentro da África