África no museu: Rio de Janeiro recebe Seminário sobre Literatura e Poesia

0
72

Divulgação

Com informações do MAR

Rio – Do dia 6 ao dia 9 de novembro, o Museu de Arte do Rio (MAR) realizará o Seminário de Literatura e Poesia. O encontro reunirá artistas e escritores africanistas do Brasil e de diferentes partes da África. Inscreva-se aqui.

Veja a programação abaixo:

6 de novembro

19h

Conversa com Joan Legalamitlwa

Joan Legalamitlwa é uma curadora independente de arte que reside em Mahikeng, na África do Sul. Graduada em estudos culturais e literatura pela Universidade da Cidade do Cabo, foi diretora do Festival Sul-Africano Internacional de Documentários Encounters e do programa de filmes Mzansi: The Reel South Africa para o Festival de Arte Próximo Futuro na cidade de Lisboa, em 2013. Joan esteve envolvida na organização de vários outros eventos de cinema da África do Sul, além de trabalhar em diversos júris de festivais internacionais. Trabalhou como curadora de filme e vídeo na Galeria Stevenson e como gestora de projetos da Fundação Children’s Radio. Seu projeto recente é a curadoria de Noble Existence, uma exposição individual sobre Sol Plaatje, da artista Giorgie Bhunu, nascida em Mahikeng.

20h

Hear Me Move, de Scottnes L. Smith
2014, Feature Film, 104 min

7 de novembro

15h

White Wedding, de Jann Turner
2009, Feature Film, 93 min

19h

Africanidades em Diálogo: Abdias Nascimento, Estética e Literatura
com Babalaô Ivanir dos Santos, Éle Semog, Conceição Evaristo e Elisa Larkin Nascimento
Retomando o diálogo que, num primeiro momento, enfocou quilombismo e afrocentricidade, a mesa realizada em parceria com o Ipeafro revisita a obra do homem cujo centenário inspirou o programa África no MAR. Focaliza a africanidade diaspórica a partir da trajetória de Abdias Nascimento e das organizações criadas por ele. Num caminho de mão dupla, a estética da africanidade ganha novas dimensões ao se cruzar com a atuação política em defesa dos direitos humanos dos afrodescendentes, e vice-versa. A reflexão sobre estética e africanidade dimensiona uma criação rica e dinâmica em expressões literárias como poesia e dramaturgia, interagindo com as artes cênicas e plásticas. O encontro da poesia com a coreografia no espetáculo Nascimento (domingo dia 9, às 15h) corporifica essa reflexão no trabalho da Cia. Rubens Barbot Teatro de Dança sobre o poema “Dias de Kizomba”, da palestrante Conceição Evaristo.

8 de novembro

10h

Mesa Literatura – A Galáxia Lombroso, a América do Sul e a África
Com Livio Sansone
mediação de António Pinto Ribeiro

É inegável a influência das ideias produzidas no gabinete de Cesare Lombroso em Turim para os debates sobre desvio, degeneração, criminalidade e “raças” nas incipientes ciências sociais em vários países da América Latina, sobretudo no longo período que vai de 1888 a 1930. Influência que também foi grande nas representações dessas questões em exposições e museus. Esta pesquisa tenciona preencher a lacuna que existe na reconstrução da teia que se estendia entre Turim e a América do Sul, pela qual circulavam, nos dois sentidos, correspondências, contatos, ideias, textos, imagens e artefatos. Em primeiro lugar, será reconstruída essa teia no tocante ao Brasil; em seguida, de forma mais sucinta, será mostrado como ela funcionava, em estreita relação com o Brasil, e também com Argentina, Cuba, México e Peru – frequentemente passando por Portugal e Espanha. Particular atenção será dada às ideias de raça e como circulavam noções e representações de categorias como negro, africano, índio e mestiço. Será feito o esforço de identificar elos concretos que unem o debate sobre a colonização e as “raças” africanas, muito forte na Europa – inclusive na Itália – nos anos próximos ao Congresso de Berlim (1884-1887), e a redefinição das ideias de raça (ideal) na América Latina.

14h

Mesa Poesia
com Joan Metelerkamp e TJ Dema
mediação de António Pinto Ribeiro

Joan Metelerkamp lerá seu poema “Points on Poems”, publicado na revista sul-africana de poesia New Coin, em um de seus volumes de poesia, “Burnt Offering” e, mais recentemente, depois de ser traduzido para o francês, na antologia de poesia sul-africana In the Heat of Shadows, editada por Denis Hirson. De forma irônica e divertida, discute os porquês da poesia na África do Sul. Joan elaborará alguns dos “pontos”, incluindo a própria história de publicação do poema, fazendo referências específicas às poesias e aos poetas sul-africanos.

Nenhuma nação além da imaginação: uma reflexão sobre a poética de Botsuana
TJ Dema

Frequentemente, e corretamente, se afirma: a África não é um país, é um continente cultural e linguisticamente diverso. Botsuana é apenas um dos mais de 50 países do continente africano e esta apresentação, que toma de empréstimo o título de um poema de Derek Walcott, não busca tanto perguntar ou responder alguma pergunta que se assuma continental em seu escopo, mas principalmente apresentar o contexto dentro do qual as poesias de Botsuana florescem.

Será considerada a amplidão do termo literatura. Em Botsuana, ele deve abarcar explicitamente o que é ao vivo e oral, ou arriscar a perpetuar a ideia de que não há poesia saindo do país.

Esta apresentação não exaure a imaginação, mas tenta brevemente cobrir cada área de relevância como ponto de partida para uma conversa a respeito da poesia do país.

16h

The African Cypher, de Brian Little
2012, documentário, 89 min

9 de novembro

15h
6º andar – Escola do Olhar – MAR
Retirada de bilhete a partir das 14h.

Espetáculo Nascimento
Uma celebração para Abdias Nascimento
Estudo coreográfico sobre o poema “Dias de Kizomba”, de Conceição Evaristo
Cia. Rubens Barbot Teatro de Dança
Supervisão coreográfica: Rubens Barbot
Organização dos movimentos: Luís Monteiro
Roteiro e direção: Gatto Larsen

Para mais informações, clique aqui

Endereço do museu:
Praça Mauá, 5, Centro
CEP 20081-240
Rio de Janeiro/RJ

Com informações do MAR