África em Verso: “Lírico Afrikano”, por Mavenda Nuni ya Áfrika

0
96

 

Porto Amboim – Registro do leitor Paulo Coelho

LÍRICO AFRIKANO

Por Mavenda Nuni ya Áfrika, Por dentro da África

Viajantes das culturas belas…

Os amores incompreendidos e sensíveis

resgatando as crenças exteriores.

Viajantes das internas ilusões incompreensíveis…

Renasce, então, a ancestralidade do lírico afrikano.

Bazola ubuntu keba kwaku (amam a união cuidado aqui) é o lírico!

Luto, enluto pela saudade de retirada multidão.

Roubados pela fé infinita que inferioriza os macumbas

e de outro lado, ngangas.

Levante lírico wenda (vai)

Vai ketukuenda (a gente vai)

Acordar os rios de gente que não acordaram

Lírico sonambolista e chorando pela busca aí…

À procura da Áfrika e da afrikana rainha.

Nas imediações centrais ou ocidentais no meio das pedras

Chamando o mundo.

Kilimanjaro à vista do Oriente mergulhando no Nilo,

bolas de lírico sem lira.

Não, não eu quero outras Kimpa Vitas!

Não basta história, é o lírico!

Ela que é amiga de Nzinga Mbandi.

Oh, saudades das belas rainhas…

Suas e minhas raízes de kulumbimbi.

Outubro de 2014.

Mavenda Nuni ya Áfrika