Parcerias para combater a fome e a pobreza no Malawi

0
201

Parcerias no Malaui - Foto: PAA - Divulgação Artigo de Samson Kankhande (FAO) e Irene del Río – PAA Africa

Mvera – Em Mvera, distrito de Dowa, no Malawi, os agricultores da Sociedade Cooperativa Kaso Producers & Marketing vem sendo beneficiados pela colaboração entre a FAO e o PMA. A iniciativa Purchase for Progress do PMA já havia inscrito a organização de pequenos agricultores em 2010 e havia reforçado a capacidade dessas organizações de vender para o mercado. A cooperativa passou a obter lucros com a venda de seus produtos – algo que a maioria de seus membros nunca tinha conseguido fazer antes – e a ganhar confiança suficiente para lidar com outros compradores.

No entanto, as quantidades que a organização conseguia vender eram limitadas pelo fato de que os produtos eram armazenados em um velho container fora de sua vila. A FAO apoiou a organização, incluindo-os no projeto Banco de Grãos, com a construção de um armazém e com treinamento para gestão de armazéns, o que levou a cooperativa quase dobrar suas vendas coletivas na temporada seguinte. Os agricultores sabem que não só a sua comunidade goza de segurança alimentar devido ao banco de grãos, mas também que os alimentos que venderam ao PMA foram distribuídos para alimentar malauianos em outras áreas do país.

O PMA e a FAO no Malawi também trabalham juntos aumentando a resiliência de comunidades vulneráveis ​​aos choques climáticos. Ambas as organizações co-presidem o Cluster de Segurança Alimentar, liderado pelo Ministério da Agricultura e Segurança Alimentar (MoAFS), para melhorar o planejamento de contingência e preparação para desastres.

Parcerias no Malaui - Foto: PAA - Divulgação Ambas as agências estão implementando conjuntamente um projeto-piloto de home grown school feeding (HGSF) em dois distritos, que é a fusão de dois programas de desenvolvimento: o Junior Farmer Field and Live Schools da FAO e o programa de alimentação escolar do PMA. O piloto do HGSF trabalha em duas áreas: a primeira é a aquisição local, que consiste na transferência de fundos para as escolas para que possam adquirir localmente produtos para a merenda escolar. A segunda área é o ambiente produtivo, que consiste em hortas escolares, que são utilizadas como campos de demonstração para a comunidade e para fornecer produtos alimentícios para as escolas.

Os funcionários das escolas e pais de alunos foram treinados em gestão de fundos, e em como manter os jardins escolares aplicando novas técnicas e plantando novos produtos. Os agricultores que estão vendendo para as escolas agora têm um mercado estável e podem planejar sua produção com antecedência, enquanto eles recebem treinamento na produção, comercialização e gestão para aumentar os lucros de seu trabalho.