Organização MSF denuncia ataques à população na República Centro-Africana

0
58

onu centro africanaBangui – RCA – A organização humanitária internacional Médicos Sem Fronteiras (MSF) denunciou, semana passada, o ataque à população civil em nova onda de violência em Bouca, na República Centro-Africana (RCA).

O número de pacientes admitidos em instalações de saúde devido aos ferimentos relacionados à violência aumentou nos últimos meses em cidades como Bossangoa, Batangafo e Paoua. Nas últimas semanas, a MSF cuidou de 26 pessoas feridas por golpes de machete ou por armas de fogo.

Em comunicado internacional, a organização relatou preocupação com a segurança da população civil e com as atrocidades cometidas por ambas as partes envolvidas nos confrontos em Bouca, onde diversas pessoas foram mortas e casas foram incendiadas.

MSF planeja operar clínicas móveis para monitorar a situação dos moradores da região e dos que estão refugiados na mata. No momento, mais famílias são obrigadas a buscarem refúgio na floresta, durante um período em que ficam mais vulneráveis à malária

A organização, que mantém sete projetos regulares em todo o país, está preocupada com os reportes de ataques contra agentes de saúde e condena veementemente o assassinato de dois agentes humanitários da ACTED no último sábado, em Bossangoa.

A MSF mantém suas atividades médicas por todo o país, tanto as iniciadas antes do golpe de Estado de março deste ano quanto aquelas estabelecidas recentemente para responder às necessidades da população afetada pelo deslocamento, pelos altos níveis de malária e pela ausência do sistema público de saúde no país.

Com informações da Médicos Sem Fronteiras