Lupita Nyong’o visita o Quênia em campanha de combate à caça dos elefantes

0
285
Lupila – Foto: David Sheldrick Wildlife Trust

Por dentro da África

Rio – Premiada com o Oscar de Melhor Atriz Coadjuvante no filme 12 anos de Escravidão, Lupita Nyong’o retornou ao Quênia, sua terra natal, para ser mais uma voz ativa no combate à caça dos elefantes. Nesta terça-feira, Lupila ganhou o título de embaixadora da WildAid, organização de conservação animal.

– Quero incentivar as pessoas em todo o mundo a aprender mais sobre estes animais incríveis. Peço ao mundo para acabar com a atual caça ilegal de elefantes. É hora de proibir a venda de marfim – disse a atriz enquanto visitava o orfanato de elefantes David Sheldrick Wildlife Trust, em Nairóbi, Quênia.

Foto de Samantha Beattie no Orfanato dos Elefantes Nyong’o se junta a uma série de ícones internacionais, incluindo Jackie Chan , Yao Ming, Edward Norton, o príncipe William e David Beckham, que são destaques nas campanhas.

Leia a nossa reportagem especial com Yao Ming

Embora o Quênia proíba o comércio de marfim há 25 anos, a crescente demanda na Ásia produziu uma nova classe de consumidores de marfim que reacendeu a demanda e estimulou o comércio de marfim ilegal, resultando em uma crise de caça furtiva. Em toda a África, até 33.000 elefantes são mortos anualmente por grupos militantes e organizações criminosas internacionais que lucram com o comércio.

Veja a nossa reportageYao Ming diante de uma carcaça de rinoceronte - Kristian Schmidt - Wild Aid m sobre o David Sheldrick Wildlife Trust

De acordo com o CEO da WildAid, Peter Knights, houve um aumento de 50% na consciência de caça ilegal de elefantes na China nos últimos dois anos. 95% dos chineses entrevistados disseram apoiar a proibição da venda de marfim.

Você acha que a proibição da venda de marfim pode ser o maior aliado para acabar com a caça? Comente aqui!