Durante intercâmbio em Uganda, jovem brasileira cria campanha para auxiliar crianças de orfanato

2
245

Uganda - Foto de Mariana Nicolau
Uganda – Foto de Mariana Nicolau

Natalia da Luz, Por dentro da África

Rio – Após tomar conhecimento das fragilidades de um orfanato, uma jovem brasileira em intercâmbio na cidade de Luweero, Uganda, iniciou uma campanha para arrecadar ajuda financeira capaz de transformar a vida de muitas crianças.

– Decidi começar a campanha no dia em que as crianças não tiveram o almoço de todo dia, que tiveram que tomar a mesma coisa do café da manhã (água com um tipo de farinha) – conta, em entrevista ao Por dentro da África, a estudante Mariana Nicolau Oliveira, que, em poucos dias de campanha (que você também pode participar), já arrecadou R$10.500 reais.

A jovem, que estuda Serviço Social na Universidade Federal Fluminense (UFF), disse que o orfanato Kyamuwendo children’s Home, administrado pela ONG Another Life International, ficava em Kampala (a capital), mas teve que ir para Luweero por conta do valor do aluguel. Em nova instalação, o objetivo foi criar um vilarejo no qual o orfanato fizesse parte. Além da residência das crianças, eles (os administradores) ainda pretendem construir uma igreja e uma espécie de clínica-escola.

Uganda - Foto de Mariana Nicolau
Uganda – Foto de Mariana Nicolau

– Quando as aulas começarem (no dia 3 de fevereiro) serão, pelo menos, 56 crianças que precisarão de mais infraestrutrura. A campanha, chamada de “Se a sorte lhe sorriu por que não sorrir de volta?”, orça R$66,00 de material escolar para cada criança utilizar durante um ano, R$1800,00 para a construção de um galinheiro com 50 galinhas, de forma que sejam alimentadas por 4 meses até começarem a ser lucrativas, R$1000 para comprar e cuidar de uma vaca e R$6750 para terminar a escola e a casa – detalhou a intercambista, ressaltando que não vê outra solução que não seja pedir ajuda financeira para a campanha que vai até o dia 2 de fevereiro.

Intercâmbio

Mariana, que vive em Niterói, no Rio de Janeiro, planejou a sua estada em Uganda a partir do programa de intercâmbio do AIESEC – reconhecida pela UNESCO como a maior organização de jovens universitários do mundo, presente em 113 países e territórios com mais de 86.000 membros. A organização explora e desenvolve o potencial de liderança de seus jovens.

O período de um mês (de janeiro a fevereiro) já está sendo uma temporada de crescimento imensurável para a vida desta brasileira. Aos 19 anos, ela decidiu por conta própria deixar o conforto do lar e conhecer de perto a vida de crianças de uma zona rural de Uganda. A iniciativa faz parte de um programa de trabalho voluntário de cerca de seis semanas, onde ela conheceu mais dois brasileiros (Pedro Siqueira e Andrew Barbosa) que estavam naquele país desde o dia 17 de dezembro e hoje já retornaram ao Brasil.

Uganda - Foto de Mariana Nicolau
Uganda – Foto de Mariana Nicolau

– O alojamento, que possui camas e uma geladeira, é divido com outros intercambistas e fica a 6 km do vilarejo. Nós usamos carvão para cozinhar, acordamos cedo para lavar as nossas roupas e vamos de moto-táxi para o nosso trabalho – explicou sobre a rotina vivenciada.

Por que Uganda?

Uganda faz fronteira com o Quênia, República Democrática do Congo, Ruanda, Tanzânia e Sudão do Sul. Independente da Inglaterra desde 1962, o país, de cerca de 36 milhões de habitantes, possui mais de 39 línguas africanas.

Mariana contou que sempre foi muito curiosa pela história do país. A vontade de conhecer de perto Uganda foi fortalecida após ela assistir ao filme “O Último Rei da Escócia”, baseado no livro homônimo de Giles Foden sobre Idi Amin Dada, ditador de Uganda entre 1971 a 1979, interpretado pelo ator Forest Whitaker. A história, baseada em fatos verídicos, é contada através da perspectiva de um fictício médico escocês.

Uganda - Foto de Mariana Nicolau
Uganda – Foto de Mariana Nicolau

Morto em 2003, Idi Amin Dada foi o terceiro presidente de Uganda. Amin se juntou ao King’s African Rifles, um regimento colonial britânico, em 1946, servindo na Somália e no Quênia. Ele foi denunciado dentro e fora do continente por matar dezenas de milhares de pessoas durante seu governo. Algumas estimativas dizem que o número ultrapassa cem mil pessoas.

O trabalho

A rotina de Mariana em Luweero inclui muitas responsabilidades: ela ajuda a cavar a terra para plantar batatas, colhe folhas para alimentar os porcos, pega água do poço, colhe frutas, além de dar aulas de inglês, matemática, ciências e de brincar com as crianças do orfanato.

Uganda - Foto de Mariana Nicolau
Uganda – Foto de Mariana Nicolau

– Eu queria passar uma noção de mundo para as crianças, conversar sobre direitos humanos e entender como eles levam a vida diante das condições e circunstâncias – conta a jovem que contraiu malária e febre tifoide (doença causada pela ingestão da bactéria Salmonella typhi em alimentos ou água contaminada), mas já está bem e curada!

O Índice de Desenvolvimento Humano (IDH) de Uganda é considerado muito baixo, deixando o país na posição 161º em todo o mundo. Ter essa experiência em uma região de tantos problemas e fragilidades prolonga a visão da realidade e a corrente da solidariedade.

– Eu queria não poder contar com ninguém, ser independente e me virar. Num lugar onde ninguém me conhece e onde não fazia ideia do que poderia encontrar. É muito diferente. Não teria sido tão profundo se eu não tivesse passado por tudo.

Recado da campanha

Você pode doar o quanto quiser e puder para a campanha de Mariana que vai até o dia 2 de fevereiro.

“Quem fizer uma contribuição superior a R$100,00, eu me comprometo a levar para o Brasil um desenho de uma criança para essa pessoa, um desenho que carrega toda a visão de mundo dessas crianças, tudo que ela pretende sobre o futuro e sabe sobre o passado, um desenho que simboliza tudo: você, eu, elas e o mundo. Algo assim deve ter algum valor, não é? Mas não se prenda a essa quantia ou a esse desenho, ajude como e/ou quanto puder. Na realidade daqui, palavras e amor podem ter tanta ou mais importância que o dinheiro”.

Dados bancários: Banco Itaú (341) Agência: 0222 Conta Poupança; 83440-0 /500 Nome: Jaqueline Marconi Nicolau ou Mariana Nicolau Oliveira – CPF: 05826935782

Conheça mais sobre a campanha aqui

Por dentro da África


2 COMMENTS