Etíope deverá ser eleito neste mês para presidir a União Africana

0
  •  
  •  

RIO – O governo da Etiópia anunciou nesta quarta-feira que o primeiro-ministro etíope, Hailemariam Desalegn, deverá ser o próximo presidente da União Africana (UA). O posto será transmitido de Thomas Boni Yayi, também presidente do Benin (na África ocidental) ao novo dirigente (eleito anualmente) no próximo encontro em Addis Abeba, nos dias 27 e 28 de janeiro.

A União Africana (UA)  foi fundada em 2002 baseada no modelo da União Européia (mas atualmente com atuação mais próxima à da Comunidade das Nações)  sobre os pilares da  promoção da democracia, direitos humanos e do desenvolvimento econômico na África.

A diplomata e ex-mulher do presidente sul-africano Jacob Zuma, Nkosazana Dlamini-Zuma, tornou-se a primeira mulher a chefiar a Comissão da União Africana, após derrotar Jean Ping, de Gabão, que dirigia a entidade desde 2008.

 

Por dentro da África


  •  
  •