Conselho de Segurança deve acabar com impunidade em Darfur, diz TPI

1
  •  
  •  

Procuradora do Tribunal Penal Internacional, Fatou Bensouda, fala sobre a situação no Darfur, no Sudão, para o Conselho de Segurança da ONU. Foto: ONU/Eskinder DebebRio – Decepcionada com a falta de ação do Conselho de Segurança da ONU contra os responsáveis por crimes de guerra em Darfur, no Sudão, a procuradora-chefe do Tribunal Penal Internacional (TPI) ressaltou que a situação das vítimas “vai de mal a pior”.

– Fizemos a nossa parte e cabe a este Conselho comparecer às expectativas legítimas das vítimas de Darfur, para que os indivíduos alegadamente responsáveis por seus sofrimentos diários sejam levados à justiça – disse Fatou Bensouda ao órgão de 15 membros durante reunião nesta semana.

Segundo a procuradora, cerca de 300 mil pessoas foram deslocadas somente em 2013, número que excede a quantidade de pessoas deslocadas nos últimos dois anos na região. Bensouda pediu aos membros do Conselho para agirem com coragem e convicção, adotando as medidas necessárias dentro de seus mandatos para garantir que os fugitivos do Sudão sejam levados à justiça o quanto antes.

Em março de 2009, os juízes do TPI emitiram mandados de prisão contra, entre outras autoridades, o presidente sudanês, Omar Al-Bashir, por genocídio, crimes contra a humanidade e crimes de guerra cometidos em Darfur. Bashir, juntamente com os outros acusados do TPI no país, ainda não foram presos.

Embora o Sudão não seja um Estado presente no Estatuto de Roma – que criou o TPI – ele é obrigado a cooperar e prestar toda a assistência necessária ao Tribunal e à Procuradoria, de acordo com uma resolução do Conselho da ONU adotada em 2005.

 Com informações da ONU 

  •  
  •  

1 COMENTÁRIO

  1. na verdade os assassino de DARFUR e os assassinato relacionado como crime de guerra na AFRICA, em geral , não vai ter nem um tipo de punição por que a ONU, não vai se interessa por esse assunto desumano, por que os países que pertence a ONU, é os culpados principal pela miséria em todo continente AFRICANO. a procuradora pede para fazer justiça, mais os adoradores dos senhores do mundo não vão fazer justiça, por quer eles são portadores da injustiça.