Bahia: Pelourinho terá biblioteca especializada em relações raciais

0
  •  
  •  

Captura de tela 2015-12-16 às 10.39.14A população baiana ganha, nesta quinta-feira (17), mais uma biblioteca especializada em relações raciais. O equipamento leva o nome de Luiza Mahin e Luiz Gama, personalidades negras reconhecidas pela luta contra o sistema escravocrata, e está localizado no Conselho de Desenvolvimento da Comunidade Negra (CDCN), no Pelourinho. A cerimônia de inauguração será às 16h30, com a apresentação da cantora Savannah Lima, mas durante todo o dia haverá exposição de produtos literários dos conselheiros.

O evento contará com a participação de representantes da Secretaria de Promoção da Igualdade Racial (Sepromi), órgãos que atuam com a temática, entidades parceiras, movimento negro, além de integrantes do CDCN.  Os interessados em doar publicações relacionadas para o novo espaço podem entrar em contato pelo (71) 3117-1553 ou fazer uma visita, de segunda a sexta-feira, das 9 às 12h e das 14 às 18h.

Reconhecimento

Conhecido como advogado da população escravizada, o soteropolitano Luiz Gama não conseguiu se matricular no curso de Direito e enfrentou hostilidade de professores e alunos por ser negro, mas persistiu como ouvinte das aulas. Conseguiu uma carta de advogado e com o conhecimento adquirido, defendeu e libertou na Justiça mais de 500 escravizados. Também foi poeta, jornalista e patrono da cadeira nº 15 da Academia Paulista de Letras.

Recentemente, a Comissão de  Constituição e Justiça e de Cidadania, da Câmara de Deputados, aprovou dois projetos de lei, de autoria do parlamentar federal Orlando Silva, que prestam homenagem ao advogado. O primeiro inscreve o nome de Luiz Gama no Livro dos Heróis da Pátria. O segundo o declara como Patrono da Abolição da Escravidão do Brasil. No último dia 3 de novembro, a Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) também homenageou Gama, reconhecendo-o como advogado.

Mãe de Luiz Gama e quituteira de profissão, Mahin esteve envolvida na Revolta dos Malês (1835) e na Sabinada (1837-1838). Nasceu em Costa Mina, na África, e foi trazida para o Brasil como escravizada. Descoberta, a militante foi perseguida, até fugir para o Rio de Janeiro, onde foi encontrada, detida e, possivelmente, deportada para Angola. Não existe, entretanto, nenhum documento que comprove essa informação.

O Conselho

O CDCN é um órgão colegiado da Sepromi, de caráter consultivo, formado por 21 conselheiros, sendo 6 do poder público e 15 da sociedade civil, com igual número de suplentes. Tem por finalidade a promoção do desenvolvimento social, cultural, político e econômico da população negra mediante a análise, formulação, proposição, avaliação e acompanhamento de programas e políticas públicas de enfrentamento às desigualdades étnico-raciais.

O Conselho funciona como uma espécie de parlamento temático onde os problemas mais atuais que afetam a comunidade negra da Bahia são discutidos e de onde saem proposições para a resolução dos mesmos. A maior participação da sociedade civil é uma garantia de amplitude, autenticidade e foco nas reais demandas da população negra.

Serviço

Inauguração da Biblioteca Luiza Mahin e Luiz Gama

Quando: 17.12.2015 (quinta-feira), às 16h30.

Onde: Conselho de Desenvolvimento da Comunidade Negra (CDCN), Ladeira do Passo, 42 – Pelourinho/Salvador.

Obs. Durante todo o dia haverá exposição de produtos literários dos conselheiros.

 


  •  
  •