São Paulo: africanos participarão da Copa dos Refugiados

0
  •  
  •  

Copa dos Refugiados – Divulgação

Com informações da ONU

Rio – Nos próximos dias 2 e 3 de agosto, a cidade de São Paulo receberá um torneio de futebol original. Com times de 16 países diferentes, a Copa dos Refugiados reunirá em torno do esporte mais popular do Brasil cerca de 200 estrangeiros que vivem no país – após deixarem sua terra natal devido aos conflitos, guerras e perseguições.

Entre os times africanos estão as seleções de Serra Leoa, Nigéria, Mali, Angola, Guiné Conacri, Costa do Marfim, Camarões, Burkina Faso e Togo.

O evento conta com o apoio da Caritas Arquidiocesana de São Paulo, do Alto Comissariado das Nações Unidas para Refugiados (ACNUR), da ONU Mulheres, do Programa Conjunto das Nações Unidas sobre HIV/AIDS (UNAIDS) e da Cruz Vermelha Brasileira (filial São Paulo), além de entidades privadas, religiosas e de organizações da sociedade civil, como a organização não governamental IKMR.

A Copa dos Refugiados terá atividades culturais paralelas e ações de prevenção e combate à violência de gênero e aids, por meio das campanhas da ONU “O Valente não é Violento” e “Proteja o Gol”.

Refugiados no Brasil

Segundo dados do Comitê Nacional para Refugiados (CONARE), o Brasil possui cerca de 5,2 mil refugiados reconhecidos, de 80 nacionalidades diferentes (34% são mulheres). Nos últimos quatro anos, o número de solicitações de refúgio no país cresceu 800% – aproximadamente 500 em 2010, chegando a mais de 5.200 ao final do ano passado.

O Brasil é signatário do Estatuto dos Refugiados das Nações Unidas e possui uma própria legislação sobre o refúgio (Lei nº 9.747/97). A maioria das solicitações de refúgio está na Região Sudeste (29,35%), sendo São Paulo o estado com mais demandas (23%) – de acordo com dados consolidados ao final de 2013.

A Copa dos Refugiados acontece das 8h às 17h, no Campo da Tia Eva, Rua Frederico Alvarenga 391, Glicério, São Paulo.

Para mais informações, visite a página oficial da Copa dos Refugiados no Facebook (www.facebook.com/copadosrefugiados) ou entre em contato com as assessorias de comunicação da Cáritas Arquidiocesana de São Paulo (11.3115-2674 / 9.8663-2144) ou do ACNUR (61.3044.5744 / 8187.0978).

Com informações da ONU


  •  
  •