Nigéria vence a Copa do Mundo Sub-17

0
  •  
  •  

Foto: FIFA – Divulgação

Por André Carlos Zorzi, Por dentro da África 

Uma final africana encerrou a Copa do Mundo Sub-17 da FIFA neste domingo: Nigéria 2 x 0 Mali. Trata-se do 5º título mundial dos nigerianos, maiores campeões da categoria, e o segundo após a implementação da regra que obriga todos os jogadores a se submeterem a exames ósseos que comprovem sua idade, adotada em 2009.

A Final

Em um dos primeiros lances da partida, logo aos 2’, Ebere desperdiçou um pênalti para a Nigéria. O rendimento do jogador não foi o esperado, e acabou sendo substituído logo no intervalo por Madueke. A troca fez efeito, e aos 10’ da etapa complementar, o próprio Madueke recebeu passe em profundidade, adentrou a área cercado por dois marcadores e tocou a bola para Osimhen, livre, abrir o placar para os alviverdes. Menos de três minutos depois, o goleiro malinês Samuel Diarra errou feio ao repor a bola em jogo nos pés do adversário Chukwueze, que apenas tocou para Bamgboye entrar na área e fazer o gol que daria resultados finais à partida, e garantiria o título nigeriano.

O caminho do título

A campanha do titulo foi marcada por partidas espetaculares, como as goleadas por 5 x 1 contra os anfitriões chilenos na fase de grupos, o 6 x 0 contra a Austrália nas oitavas de final, e o 3 x 0 construído em 35 minutos de jogo contra o Brasil nas quartas. Além disso, vitórias contra Estados Unidos por 2 x 0 no jogo de estreia, 4 x 2 sobre o México na semi final, e o 2 x 0 sobre o Mali na finalíssima. A única derrota ocorreu contra a Croácia, na última partida da 1ª fase, quando a equipe já não poderia mais ser alcançada na liderança de seu grupo.

Menos brilhante, o Mali também teve uma campanha respeitosa, chegando invicto à final, empatando na fase de grupos com a Bélgica (0 x 0) e vencendo Equador (2 x 1) e Honduras (3 x 0). Na fase final, mais três vitórias: Coréia do Norte (3 x 0), Croácia (1 x 0) e novamente a Bélgica (3 x 1), conquistando assim a vaga na decisão.

Premiados

Os africanos também dominaram as premiações individuais do torneio: O meia Kelechi Nwakali, da Nigéria, foi eleito o melhor jogador da Copa do Mundo, sendo capitão da equipe campeã e marcando três gols longo do torneio. O grande destaque, porém, ficou para Victor Osimhen, também da Nigéria, que já havia sido artilheiro do Campeonato Africano Sub-17 no começo do ano, e conquistou novamente a honraria no torneio mundial, marcando nada menos que 10 gols em sete partidas, seis a mais que o vice-artilheiro, o alemão Eggestein. O prêmio de melhor goleiro, por sua vez, ficou com o malinês Samuel Diarra.

Outros participantes

Além dos dois finalistas, o continente foi representado por outras duas equipes no torneio. A Guiné-Conacri, que conquistou um bom empate com a Inglaterra no jogo de estreia, mas em seguida foi derrotado pela Coréia do Sul (1 x 0) e Brasil (3 x 1), e a África do Sul, que fez sua estreia no torneio, com derrotas para Costa Rica (2 x 1) e Russia (2 x 0), além de um empate com a Coréia do Norte (1 x 1). Ambas ficaram na lanterna de seus grupos, com apenas um ponto cada.


  •  
  •