Pesquisadores lançam ‘Etnicidades e trânsitos: estudos sobre Bahia e Luanda’

0
  •  
  •  

Foto de capa do livro
Foto de capa do livro – Divulgação

Na última semana, foi lançado, na Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia, o livro ‘Etnicidades e trânsitos: estudos sobre Bahia e Luanda’. A obra reúne pesquisas sobre a Bahia e Luanda a partir de trabalhos de Marise de Santana (UESB), Edson Dias Ferreira (UEFS), Washington Santos Nascimento (UERJ) e Matheus Serva Pereira (UNICAMP).

No início, o livro faz uma discussão teórica sobre a relação entre Antropologia e História, onde os autores analisam os processos discursivos criados pelos europeus e suas ciências (notadamente a Antropologia) para a descrição, análise e controle dos “outros” descobertos nos encontros coloniais e a necessidade de construir epistemologias descolonizadas.

O segundo capítulo analisa o legado ancestral africano de Candeias e São Francisco do Conde, cidades do Recôncavo da Bahia, buscando mostrar como docentes com doutrina cristã, discriminam este legado, deixando de tomá-los adequadamente em seu trabalho na escola.

O capítulo “Fé e Festa nos Janeiros da Cidade da Bahia: São Salvador” aponta que a fé e festa são elementos que estabelecem um profundo sentido cultural na formulação do imaginário e na concepção do sagrado, entrelaçado com o cotidiano local e do pensamento mítico da comunidade afro-brasileira local.

O quarto capítulo busca entender as trajetórias de angolanos do interior (que utilizaram-se das reduzidas possibilidades de ascensão social criadas pelo estado português e seu estatuto do Indigienato (1926) para constituir-se enquanto uma elite letrada, negra, “nova assimilada”,  de origem rural dentro da capital da colônia, Luanda.

Por fim, no último capítulo, há uma análise das representações de assimilados e dos habitantes do “mato” na obra de Luandino Vieira. Para Luandino Vieira o sujeito/identidade nacional angolano nasceria do confronto/diálogo entre dois tipos de angolanos diferentes, os assimilados, mais próximos ao colonizador português, e pessoas de origens rurais (do “mato”), mais ligadas ao universo tradicional angolano.

COMO COMPRAR

O valor do livro é R$ 30,00 que será revertido integralmente para outros projetos de publicação do grupo.  Aqueles que forem de fora do Rio de Janeiro (ou mesmo os daqui que desejam que eu poste) o valor é de R$ 30,00 + 12,00 (frete para qualquer local do Brasil, baseando-nos na Estante Virtual) + R$3,00 pela embalagem . Totalizando R$ 45,00.

Saiba mais aqui

 


  •  
  •