‘Nossos Mortos Têm Voz’ será exibido no YouTube

0
  •  
  •  

Com informações da Quiprocó Filmes

Na véspera dos 15 anos da Chacina da Baixada Fluminense, no Rio de Janeiro, o documentário ‘Nossos Mortos Têm Voz’ será exibido no canal do Youtube da Quiprocó Filmes. O episódio ficou conhecido mundialmente como ‘Chacina da Baixada’ e anualmente o movimento de mães e familiares vítimas da violência do Estado realiza uma caminhada em memória das vítimas, o que não acontecerá em 2020 devido à pandemia do covid-19.

Na noite do dia 31 de março de 2005, policiais insatisfeitos com a troca de comando do 15º BPM de Duque de Caxias, percorreram as ruas das cidades de Queimados e Nova Iguaçu atirando à esmo, resultando no assassinato de 29 pessoas. A liberação de acesso ao filme é a forma que encontramos de homenagear as vítimas da chacina e reforçar a importância da luta das mães e familiares vítimas da violência do Estado na Baixada Fluminense.

Em memória das vítimas da Chacina da Baixada Fluminense, será disponibilizado hoje (30 de março) às 18h o acesso ao documentário Nossos Mortos Têm Voz – Filme no canal do youtube da Quiprocó Filmes. Nesta terça feira, dia 31 de março, o Cineasta e um dos diretores do filme Fernando Sousa participará de um debate através do instagram da @quiprocofilmes com a Arquiteta e Urbanista Tainá de Paula.

Dia 30/03 -18h : Liberação do filme Nossos Mortos Têm Voz – Filme no canal do youtube da Quiprocó Filmes.

Dia 31/03 – 19h30: Chacina da Baixada e necropolítica – 15 anos depois.
Live com com o Cineasta Fernando Sousa e a Arquiteta e Urbanista Tainá de Paula, no instagram da @quiprocofilmes e da Tainá de Paula.

SINOPSE: A narrativa do documentário é construída a partir do depoimento e do protagonismo das mães e familiares vítimas da violência de Estado da Baixada Fluminense. Tendo como ponto de partida esses casos, mas não se limitando à violência praticada, o documentário aborda as histórias atravessadas por essas perdas. Pretende-se resgatar a memória dessas vidas interrompidas trazendo uma visão crítica sobre a atuação do Estado através das polícias na Baixada Fluminense, sobretudo no que diz respeito à violência contra jovens negros.


  •  
  •