Ministério Público determina que Youtube exclua vídeos contra religiões afro

11
  •  
  •  

Foto Alliance ADA
Foto Alliance ADA

Rio – A Associação Nacional de Mídia Afro – ANMA, fundada em 2013 com o objetivo de valorizar a cultura afro-brasileira combatendo o preconceito e a intolerância religiosa, apresentou Denúncia Formal ao Ministério Público Federal do Rio de Janeiro contra o Youtube por conta de 16 vídeos de conteúdo que disseminam o preconceito, ódio, intolerância e discriminação religiosa.

O procurador Jaime Mitropoulos, da Procuradoria Regional dos Direitos do Cidadão, reconheceu que o Youtube, enquanto ferramenta de comunicação de massa, tem responsabilidade sobre o conteúdo dos vídeos postados. Desta forma, ele justificou a intervenção do Ministério Público Federal no caso, alegando que o Estado tem o dever de proteger a honra e as consciências religiosas agredidas pelo uso abusivo da liberdade de expressão e de culto, preservando assim o equilíbrio social.

A Decisão do Dr. Jaime Mitropoulos, menciona que os vídeos têm “… o nítido propósito de “demonizar” as religiões que figuram como alvos desses ataques, e evidencia-se a necessidade de coibir a divulgação desses conteúdos, pois é dever do poder público adotar medidas necessárias inclusive para fazer cessar a difusão de proposições, imagens ou abordagens que exponham pessoa ou grupo ao ódio e à discriminação por motivos fundados na religiosidade”. E ainda: que “… os ataques disparados ofendem ao povo brasileiro como um todo, visto que os valores democráticos não pertencem a esse ou aquele segmento religioso tão-somente, mas sim a toda sociedade”. 

Desta forma, em decisão inédita, a empresa que administra o Youtube foi notificada a retirar (na última quarta-feira) os vídeos citados na decisão, para evitar violações aos direitos humanos. A notificação mencionou ainda a necessidade do Youtube manter uma permanente fiscalização a respeito do conteúdos veiculados que configuram crimes, para que o caso não se repita.

 Com informações da ANMA


  •  
  •  

11 COMENTÁRIOS

  1. Pois é se fosse ateu,cristão ou islamista.. teria que engolir.

    Agora se vc falar mal de uma minoria como no caso iriam cair de pau em vc.

    Exemplo:Pessoa X: Não gosto de ateu.
    Pessoa Y (ateu) : É sua opinião tenha esse direito

    Pessoa Z: Não gosto de homossexual
    Ja sabe o resto da historia não é.

    • Cara sério mesmo? No texto não fala tão somente sobre religiões de matiz africana. Você já viu algum vídeo de alguém falando mal te ateu? Você já viu alguém de religiões afro ou espirita fazer video de chacota ou ofensivo contra outras doutrinas? Você deve ser aquele cara que acredita em Racismo inverso.

  2. Concordo com o Ministério Público e por estar de acordo que fere a dignidade das pessoas que pertencem algum grupo religioso afro penso que o Ministério Público deve mandar tirar do youtube, também todos os videos que vão contra a Santa Igreja, Una, Santa, Católica e Apostólica por ferir milhares de pessoas do nosso Brasil e do mundo.