Lisboa sediará primeiro Congresso Internacional de Angolanística

0
  •  
  •  

Com informações da Biblioteca Nacional de Portugal

Nos dias 17 e 18 de outubro, a Biblioteca Nacional de Portugal, sediará o Primeiro Congresso de Angolanística. Com o tema ‘Novos Caminhos para Angola no século XXI’, o encontro propõe um debate profundo sobre política, cultura, história e sociedade angolanas.

Organizado pelo Angola Research Network (entidade que integra investigadores e instituições de pesquisa que desenvolvem trabalhos sobre Angola), as comunicações do Congresso serão divididas em quatro áreas:

i) Política, direito, história e relações internacionais: Estado, partidos, boa governação, política e perspectivas para um futuro próximo; integração na Região Austral e dos Grandes Lagos;
ii) Economia e empresas, modelos de desenvolvimento e investimento exterior;
iii) Cultura, arte, literatura e pensamento; religiões; imprensa e comunicação; migrações e diáspora angolana;

iv) Ciências, tecnologia e investigação.

Veja a programação abaixo ou aqui no site do evento 


17 de outubro

*09.30h – Acolhimento e registo

*10.00h/11.00h – Sessão Plenária de Abertura – SALA 1
Alocução de boas vindas do Convenor Filipe Santos (U. Nova).
Keynote speakers: Justin Pearce (U. Cambridge): Novos caminhos para Angola, novos rumos para a pesquisa e Alberto Oliveira Pinto (U. Lisboa): A História de Angola e as suas fontes: a arqueologia, a oralidade e a escrita

*11.00h/11.15h – Coffee break

*11.15h/13.30h – Painel 1 – Problemáticas da História de Angola – SALA 1
•Alberto Oliveira Pinto (U. Lisboa) e Jean-Michel Mabeko-Tali (U. Howard).
•Alberto Oliveira Pinto (U. Lisboa): Para uma História da Rota das Missões religiosas em Angola.
•Jean-Michel Mabeko-Tali (U. Howard): Ciências sociais e política: algumas considerações sobre o ensino da História em Angola desde a Independência.
• Margarida Paredes (ISCTE/Instituto Universitário de Lisboa): O movimento feminista em Angola, a nova travessia das mulheres angolanas inaugurada nas lutas de libertação anticolonial.
• Vasco Martins (Centro de Estudos Sociais da Universidade de Coimbra): Do medo à esperança: o ressurgir da memória de Jonas Savimbi em Angola.
• Jorge Arrimar (Pesquisador independente): História, oralidade e ficção.

*11.15h/13.30h – Painel 2 – Cobertura jornalística de atos eleitorais nos PALOP: o lugar de Angola na mídia portuguesa- SALA 2
•Maria José Mata (Instituto Politécnico de Lisboa (IPL) – Escola Superior de
Comunicação Social (ESCS).
• Fernanda Bonacho (IPL-ESCS), Maria Inácia Rezola (IPL-ESCS), Anabela Lopes(IPL/ESCS), João Manuel Rocha (ISCTE-IUL/Jornalista; IPL-ESCS), Cláudia Silvestre (IPL-ESCS), Júlia Leitão de Barros (IPL-ESCS) e Fátima Lopes Cardoso (IPL ESCS/Jornalista): (In)visibilidades: a cobertura noticiosa das eleições em Cabo Verde (2016), Angola (2017), São Tomé e Príncipe (2018) e Guiné-Bissau (2019).
• Anabela Lopes (IPL-ESCS), Cláudia Silvestre (IPL-ESCS), Jorge Trindade (IPL-ESCS) e Maria José Mata (IPL- ESCS): Transições: o olhar dos jornais sobre os resultados das eleiçõesgerais angolanas (2017) e das presidenciais brasileiras (2018).
• Fátima Lopes Cardoso (IPL-ESCS/Jornalista) e Maria José Mata (IPL-ESCS): Olhares: como as imagens contam a vitória.

*14.30h/17.30h – Painel 3 – Direito, política e relações internacionais – SALA 2
• Rui Santos Verde (U. Oxford).
• Victorino Roque (Instituto Superior Politécnico Lusíada de Benguela): Angola e o dilema da coabitação político administrativa entre o Estado de direito e o Reino Mbalundu.
• José António Carochinho (U. Lusíada/U. Lusófona de Lisboa): O poder tradicional em Angola: atitudes dos angolanos face aos sobas.
• Aurobindo Xavier (Sociedade Lusófona de Goa): Situação atual e perspetivas das relações Índia/Angola.
• Adilson Chissapa Savite (Universidade Católica Portuguesa): Angola e a Primeira Onda de Afirmação da Liberdade no Contexto das Relações Internacionais, de 1961 a 1975.
• Nelson Domingos (Universidade Agostinho Neto): O 27 de Maio de 1977 e as autarquias locais em Angola (via Skype).

• — Pausa —
• Lançamento do livro de Domingos da Cruz: Racismo. O machado afiado em Angola.
Apresentação Adolfo Maria (Debate Africano/RTP).

*14.30h/17.00h – Painel 4 – Linguagens e literaturas – SALA 1
• Filipe Santos (U. Nova).
• Mbyavanga Emília Bundo (U. Agostinho Neto/U. Minho): Os provérbios, as culturas e as cores: um olhar ao contexto angolano.
• Liliana Inverno (Universidade de Coimbra/CELGA-ILTEC): Situação linguística em Angola: desafios de política e planeamento linguísticos para um futuro multilingue.
• Carla Ferreira (Faculdade de Letras, U. Lisboa): Literatura angolana: educação para os valores na aula de Português.
• Pedro Garcia Rosado (escritor): O general Mapache e o hacker Maxim Djalma.
• Hugo Maia (UTokyo): Representações do espaço africano: dos reinos africanos às
representações de Luanda (Angola).

18 de outubro de 2019

*10.00h/11.15h – Segunda Sessão Plenária – SALA 1
• Keynote speakers:
• Eugénio da Costa Almeida (ISCTE/IUL/Instituto Universitário de Lisboa): Angola nos caminhos do centro-globalismo africano.
• Paulo Inglês (Deutsche Forschungsgemeinschaft, DFD): Angola e a reinvenção da memória como construção da identidade: que implicações nas transições políticas.
• Intervenção moderadora:
• Rui Santos Verde (U. Oxford): Três apontamentos acerca da investigação
científica sobre Angola: “Desberlinização”; investigação envolvida; desformalização.

*11.15h/11.30h – Coffee break

*11.30h/13.30h – Painel 5 – Expressões literárias da angolanidade – SALA 1
• Alberto Oliveira Pinto (U. Lisboa).
• Benaouda Lebdai (U. Le Mans): Pepetela’s visions of Mayombe Forest: fiction and reality.
• Noemi Alfieri (U. Nova de Lisboa): Deolinda Rodrigues entre escrita da história e escrita biográfica. Receção de uma heroína angolana.
• Salvador Tito (U. Agostinho Neto, Luanda): Da negritude à realidade do negro nos poemas de Agostinho Neto e Geraldo Bessa Victor.
• Bianca Cardoso Batista (UNISC – Universidade de Santa Cruz do Sul): Literatura e ética em ‘Se o passado não tivesse asas’ (via Skype).
11.30h/13.30h – Painel 6 – Economias e estratégias – SALA 2
• Eliseu Gonçalves (U. Lisboa/advogado).
• David Renous (Pesquisador independente): L’Angola, ème producteur mondial de diamants. Histoire d’une industrie devant ses nouveaux défis géostratégiques.
• Ana Duarte (Instituto Superior Politécnico Lusíada de Benguela): Fazer do corredor do Lobito um instrumento de desenvolvimento.
• Luísa Pais (Instituto Superior Politécnico Lusíada de Benguela): A Tributação do Consumo em Angola e a Transição para o IVA – Uma Abordagem Comparativa (em coautoria com Pablo Torres).
• Eliseu Gonçalves (U. Lisboa/advogado): As originalidades e disfuncionalidades do Fundo Soberano de Angola.

*14.30h/16.30h – Painel 7 – Construções, violências e memórias – SALA 1
• Filipe Santos (U. Nova).
• Irène dos Santos (CNRS, Centre national de la recherche scientifique, Unité de recherche Migrations et société – URMIS): Mistaken identities? The ‘return’ of descendants of former settlers to Angola.
• Pedro Gomes (Instituto Ciências Sociais, U. Lisboa): Tradição, modernidade e
espacialidade na história do semba – (re)configurações da diferença (racial e de classe) na Luanda colonial.
• Wolfgang Stojetz (Humboldt Universität, Berlin): Decision-making, gender roles and
violence in Angolan veteran families.
• Domingos da Cruz (Pesquisador independente): Racismo. O machado afiado em Angola
(via Skype).
• Filipe do Paulo (Pró-Ordem dos Professores): Utopias e distopias na formação de professores portugueses para a Cooperação.

*16.30h/16.45h – Coffee Break

*16.45h/18:00h – Sessão Plenária de Encerramento – SALA 1
• Keynote speakers:
•Alex Magalhães (Universidade Federal do Rio de Janeiro): Já temos as leis, só nos
falta ter direitos! Um olhar contrastante a respeito das lutas das classes populares
pelo direito à cidade nas favelas do Brasil e nos musseques de Angola.
•Marília Favinha (U. Évora): Reflexões em torno dos contributos e do papel de
Portugal na Educação em Angola – o caso do Dep. de Pedagogia e Educação da
Universidade de Évora.
• Alocuções de agradecimento:
o Filipe Santos (U. Nova) & Rui Santos Verde (U. Oxford).

Serviço:
Dias 17 e 18 de outubro
Biblioteca Nacional de Portugal
Serviço de Actividades Culturais
Campo Grande, 83
1749-081 Lisboa
Portugal

 


  •  
  •