Guiné-Conacri: Superando a Covid-19 aos 99 anos de idade

0
  •  
  •  

 

Bagama Guinea – Foto de OMS

Com informações da OMS

Quando Bagama Guehara saiu do Hospital Donka na capital da Guiné-Conacri, em 7 de Julho deste ano, foi recebida com um aplauso arrebatador por parte do pessoal médico e de outros pacientes. Aos 99 anos, Guehara é a pessoa mais antiga a ter tido resultados positivos no teste COVID-19 no país.

Desde março, a Guiné Conacri registou 10 344 infecções e 65 mortes. A taxa mais elevada de casos fatais registou-se em doentes com mais de 60 anos, o que tornou a recuperação de Guehara ainda mais significativa.

“A minha família estava muito preocupada por causa da minha idade. Eles pensavam que eu não seria capaz de sobreviver. Mas eu superei os meus medos e mantive as minhas esperanças porque os médicos cuidaram bem de mim e tranquilizaram-me”.

Os sintomas de Guehara tinham começado com uma tosse seca. Embora tivesse inicialmente pensado pouco nisso, tomou a precaução de chamar a sua filha, que é médica, e que imediatamente enviou uma equipa médica para levar a sua mãe ao hospital. Guehara deu positivo no teste COVID-19 no dia 18 de Junho.

Foi colocada num ventilador durante os seus primeiros dias no hospital, aumentando os níveis de oxigénio no seu sangue de um preocupante 75% de volta para um saudável 90%. A partir daí, foi acompanhada de perto pela equipe médica do hospital durante quase três semanas, até que o seu teste de seguimento deu negativo e foi-lhe dito que poderia deixar as instalações e regressar a casa.

“Todos pensam que é um milagre. No hospital, quando outros doentes me viram a sair da enfermaria, deu-lhes esperança de que também iriam recuperar”.

Nas semanas que se seguiram à alta de Guehara, a Guiné aumentou rapidamente os testes, realizando cerca de 1000 testes por dia desde 20 de Julho. O país reabriu também as viagens aéreas comerciais, numa tentativa de ajudar a ressuscitar a sua economia.


  •  
  •