OMS apresenta as principais inovações africanas na resposta à Covid-19

0
  •  
  •  

Inovações para combater a pandemia de Covid – Foto de OMS

Com informações da OMS

Uma comunidade de inovadores africanos está intensificando o apoio à luta do continente contra a pandemia da Covid-19, colaborando com a Organização Mundial de Saúde (OMS) para desenvolver soluções que ajudem a conter a propagação do vírus. Em 20 de maio, a OMS na Região Africana acolheu a primeira de uma série de sessões virtuais para os inovadores de toda a região, com o objetivo de apresentar soluções criativas desenvolvidas em casa e destinadas a colmatar lacunas críticas na resposta à COVID-19.

Oito inovadores de Gana, África do Sul, Nigéria, Guiné e Quênia apresentaram as suas soluções pioneiras, todas elas já implementadas nos respectivos países, com um potencial significativo para serem ampliadas em toda a região. As inovações abrangeram desde aplicações interativas de rastreio de contatos em transportes públicos e sistemas dinâmicos de análise de dados até kits de teste de diagnóstico rápido, cabines de teste móveis e camas de baixo custo para cuidados críticos.

A OMS tem apelado regularmente a uma abordagem multifacetada e multissectorial para combater e conter a pandemia de Covid-19 na região. A Organização reconhece que a prestação de apoio contínuo e de uma plataforma regular aos inovadores africanos pode ser uma faceta fundamental desta abordagem.

“A inovação impulsiona o progresso humano. Em tempos como estes, quando somos confrontados com uma grande emergência de saúde pública como esta pandemia, sabemos que a nossa esperança de um amanhã melhor reside em encontrar soluções criativas, inovadoras ou de vanguarda”, disse o Dr. Matshidiso Moeti, Diretor Regional da OMS para África.

“É por isso que apoiar a inovação é uma componente essencial não só dos nossos esforços coletivos para combater as doenças em África, mas também para fornecer soluções adaptadas para garantir uma melhor saúde para todos”.

A mostra inaugural de inovação virtual lançou um convite público à apresentação de candidaturas à extensa rede de inovadores africanos da OMS. Para além dos presentes, participaram na sessão cerca de 350 inovadores e outras partes interessadas, tendo muitos deles participado numa animada sessão de perguntas e respostas.

“Existe já uma procura esmagadora de outros inovadores que desejam fazer parte deste evento. Existe uma riqueza de talento inovador em África e a manutenção deste tipo de plataforma deve fazer parte do nosso ADN como organização”, disse Moredreck Chibi, o conselheiro regional de inovação da OMS, que facilitou o evento.

As sessões de inovação virtual têm também como objetivo desenvolver a “Hackathon” inaugural da OMS, organizada em abril, que encarregou pequenos grupos de participantes de desenvolver conceitos escaláveis alinhados com um dos oito pilares da atual estratégia de resposta COVID-19 da OMS: coordenação; vigilância; comunicação dos riscos e envolvimento da comunidade; pontos de entrada; laboratório; prevenção e controle das infecções; gestão de casos e continuidade dos serviços de saúde essenciais; e apoio operacional e logístico.

Os três grupos mais elevados da classificação receberam financiamento inicial para começar a implementar as suas inovações. A OMS procurará prestar mais apoio operacional a algumas das melhores inovações destacadas nas sessões virtuais.

Compreender como a pandemia continuará a evoluir em África é ainda um trabalho em curso, e a resposta está constantemente a ser adaptada ao contexto africano. A solidariedade e o intercâmbio de conhecimentos, ideias e recursos em toda a região continua a ser parte integrante deste processo. A OMS pretende continuar a integrar os inovadores africanos na estratégia de resposta regional.


  •  
  •