Nigéria amplia capacidade de testes para Covid-19

0
  •  
  •  

Laboratório na Nigéria – Foto de OMS

Com informações da OMS

O que é preciso fazer para que o país mais populoso da África possa conter a propagação da Covid-19? Quando a Nigéria comunicou o seu primeiro caso do vírus em 27 de fevereiro de 2020, havia apenas cinco laboratórios em quatro estados capazes de testar a doença. Agora, existem 17 laboratórios e, em breve serão 36 (um para cada estado).

‘Nos próximos três meses, será possível testar cerca de dois milhões de pessoas, mas  serão necessários realizar 50 mil testes por estado. Isso exigiria um enorme investimento. Estamos a trabalhar com os nossos parceiros para o conseguir’, afirma o Director-Geral do CNDC, Dr. Chikwe Ihekweazu.

Siga o Por dentro da África no Instagram e acompanhe as fotos enviadas pelos leitores.

A Nigéria, com a ajuda da Organização Mundial de Saúde (OMS) e dos Centros Africanos de Controle e Prevenção de Doenças e outros parceiros, criou o Laboratório Nacional de Referência, na capital Abuja.

“Foi necessário um esforço gigantesco da NCDC, da OMS e dos parceiros para comprar e enviar kits para a Nigéria”, afirmou Dhamari Naidoo, ponto focal dos laboratórios da OMS na Nigéria.

A OMS forneceu apoio técnico, reagentes e consumíveis, bem como apoio ao transporte de amostras a nível estatal e, mais recentemente, em colaboração com o CCDN, utilizando uma formação virtual para aumentar as capacidades de recolha de amostras. A Nigéria está, atualmente, testando 4.000 amostras por semana.

“Estamos trabalhando com todos os parceiros para garantir uma cadeia de abastecimento ininterrupta para a Nigéria. Estamos também explorarando formas de melhorar a eficiência dos nossos processos laboratoriais para testes mais rápidos e testes em volumes maiores”, disse Naidoo.

Uma estratégia-chave é testar, identificar e isolar os casos positivos de Covid-19. No entanto, o aumento da capacidade de teste deve ser alinhada com uma estratégia bem planejada de vigilância e rastreio de contatos, bem como com a disponibilidade de instalações de saúde para isolar e cuidar de doentes confirmados.

No estado de Lagos, o epicentro do surto na Nigéria, as equipes de resposta estão trabalhando arduamente para apoiar o estado a aumentar a recolha de amostras, um requisito fundamental para permitir o aumento dos testes.

O aumento dos testes exige também que os hospitais tenham a capacidade adequada para isolar e cuidar dos doentes, a fim de evitar sobrecarregar um sistema de saúde já frágil.

“O acesso à capacidade de teste é essencial para o controle de uma doença altamente transmissível como a COVID-19, para que os casos suspeitos identificados na comunidade sejam rapidamente testados e, uma vez confirmados, isolados rapidamente para refrear a transmissão”, afirma Dr. Otim Patrick Ramadan, epidemiologista da OMS.


  •  
  •