Guiné-Bissau quer vacinar grupos de risco após receber 28 mil doses da Covax

0
  •  
  •  

Uniogbis – A implementação do Plano Nacional de Vacinação contra a Covid-19 começou a 2 de Abril com a imunização dos grupos de risco e pessoas na linha de frente

Com informações da ONU News

A Guiné-Bissau recebeu, nesta quarta-feira (21), mais de 28,8 mil doses da vacina contra a Covid-19. O lote é parte do mecanismo Covax, a parceria da Organização Mundial da Saúde, OMS, a Aliança Global para as Vacinas, Gavi e o Fundo das Nações Unidas para a Infância, Unicef.

A parceria também inclui a Coalizão para Inovações de Preparação para Epidemia, o Banco Mundial e a União Europeia. Em nota, o Alto Comissariado para a Covid-19 salienta que este lote da vacina Astra Zeneca é mais um passo em direção ao objetivo de distribuição equitativa das vacinas em todo o mundo.

O imunizante que chegou, via Portugal, é parte das 120 mil doses que a Guiné-Bissau espera receber do mecanismo Covax. A porção pode cobrir 20% das necessidades do país na matéria de vacinação contra a Covid-19.

“Hoje estamos muito felizes por poder fazer esta entrega da primeira série de lote que vamos entregar de vacinas. Quero finalmente reiterar o compromisso do Unicef em continuar a apoiar esta campanha de vacinação e também continuar no combate para erradicar a Covid-19 no país”, explicou Nadine Perrault, a representante do Unicef em Bissau.

O carregamento junta-se às 787,200 seringas e 7,875 caixas de biossegurança que já haviam chegado ao país. Numa iniciativa da Companhia de telecomunicações sul-africana, o país recebeu e ministrou 12 mil doses da vacina AstraZeneca.

Para o representante da OMS, Jean Marie Kipela, a entrega simboliza a expressão da solidariedade internacional para garantir acesso equitativo das vacinas, sobretudo às populações dos países de baixo e médio rendimentos. A OMS intervém na regulação das manufaturas, distribuição e controle de qualidade e eficácia das vacinas.

“Esta vacina que recebemos hoje é eficaz, segura, de qualidade aprovada e pré-qualificada pela OMS para ser administrada nas populações. A vacina é uma arma eficaz que temos para combater uma pandemia e exorto a todos que são elegíveis a tomarem a vacina para parar com a Covid-19 na Guiné-Bissau”.

A implementação do Plano Nacional de Vacinação contra a Covid-19 começou a 2 de Abril com a imunização dos grupos de risco e pessoas na linha de frente. O Alto Comissariado acredita que campanha vai ganhar ímpeto com esta entrega, podendo alargar-se ao resto do país e melhorar a taxa de cobertura.

A Guiné-Bissau pretende vacinar 70% da sua população e a Covax vai cobrir 20% deste objetivo. O país pode adquirir mais 15% com apoio do Banco Mundial e conta obter vacinas da Johnson e Johnson. A Farmacêutica Americana vai fornecer 400 milhões de doses à União Africana.

*De Bissau, Amatijane Candé para a ONU News.


  •  
  •