África do Sul realiza Fórum Global de Nutrição Infantil

0
  •  
  •  

Foto: Comunidade Saco Vazio não Para em Pé

Com informações do Centro de Excelência contra a Fome

Rio – A nutrição escolar promove o desenvolvimento econômico e social e ajuda a reduzir a fome e a pobreza, especialmente quando está ligado à compra de alimentos da agricultura familiar. Esta é a mensagem principal do Fórum Global de Nutrição Infantil 2014, o mais importante evento do mundo em alimentação escolar, que começa hoje (29) em Joanesburgo, África do Sul.

Desde 1997, o Fórum tem reunido líderes de países em desenvolvimento para cinco dias de debates sobre como estabelecer programas de alimentação escolar sustentáveis e realizados por governos. Ao compartilhar suas ideias, experiências e desafios, uma rede informal de líderes dedicados à promoção da alimentação escolar foi formada.

Cerca de 66 milhões de crianças em todo o mundo vão assistir às aulas todos os dias com fome nos países em desenvolvimento. Aproximadamente 23 milhões delas vivem na África. Em vários países, a alimentação escolar é a única refeição que as crianças fazem regularmente.

A alimentação escolar não apenas combate a desnutrição e provê micronutrientes, como também possibilita que as crianças aprendam melhor e aumenta os índices de matrícula e a frequência escolar. Quando estão vinculados à compra local de alimentos, os programas também beneficiam a economia rural e os agricultores familiares.

“O Fórum se tornou um catalisador global para o desenvolvimento de programas nacionais de alimentação escolar”, explica Daniel Balaban, diretor do Centro de Excelência contra a Fome do Programa Mundial de Alimentos das Nações Unidas, que tem sede no Brasil.

Para o evento deste ano, que acontece de 29 de setembro a 3 de outubro, 250 participantes de mais de 30 países são esperados, inclusive ministros de Estado, oficiais de governos e representantes de agências da ONU e de organizações não governamentais.

O Fórum, organizado pela Fundação Global Child Nutrition (GCNF) e pelo Centro de Excelência contra a Fome do PMA, pretende expandir os programas sustentáveis de alimentação escolar em todo o mundo.

A parceria entre a GCNF e o Centro foi estabelecida em 2013, quando o Fórum foi realizado no Brasil. Além de promover a troca de conhecimentos, o encontro do ano passado deu aos participantes a oportunidade de aprender sobre o programa de alimentação escolar do Brasil, um dos mais antigos e maiores do mundo e um exemplo de vínculo entre alimentação escolar e agricultura familiar.

O Fórum é apoiado pela Fundação Global Child Nutrition, pelo governo brasileiro, por meio do Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação (FNDE), pelo Serviço Social da Indústria (SESI), pelo governo da África do Sul e pelo Ministério do Reino Unido para o Desenvolvimento internacional (DFID).

O PMA é a maior agência humanitária do mundo no combate à fome. Provê alimentos em situações de emergência e trabalha com comunidades para construir resiliência. Em 2013, o PMA auxiliou mais de 80 milhões de pessoas em 75 países.

Com informações do Centro de Excelência contra a Fome


  •  
  •