Covid-19: Continente africano se aproxima de 1 milhão de casos

0
  •  
  •  

 

Foto de OMS em África

Com informações da OMS

Em pouco mais de três semanas, o número de casos no continente africano quase duplicou, superando os 950 mil casos, com mais de 20 mil mortes. Apenas cinco países representam cerca de 75% dos casos acumulados de Covid-19: Argélia, Egito, Gana, Nigéria e África do Sul. Só a África do Sul é responsável por cerca de metade do total de casos do continente.

Sete países da África Subsaariana que tinham imposto bloqueios e começaram agora a atenuá-los, registraram um salto de 20% nos casos nas últimas duas semanas. Alguns países como a República do Congo e Marrocos tiveram que reimplementar restrições parciais devido a um aumento dos casos.

“À medida que a África se aproxima de um milhão de casos, o continente encontra-se num ponto fulcral. O vírus alastrou-se das grandes cidades e espalhou-se pelo interior distante. Os países precisam manter um ritmo acelerado e descentralizar urgentemente os seus principais serviços de resposta. Ainda podemos impedir a COVID-19 de atingir o seu pleno impulso, mas o tempo de agir é agora”, disse Matshidiso Moeti, Diretor Regional da Organização Mundial de Saúde (OMS) para África.

Uma das nossas mais importantes responsabilidades coletivas é proteger os trabalhadores da linha da frente da saúde, que estão em alto risco. Quarenta e um países africanos comunicaram quase 14 000 infecções de trabalhadores de saúde. Em 16 países que reportaram infecções de trabalhadores da saúde no último mês, quase um quarto registrou um aumento nas últimas duas semanas em comparação com a quinzena anterior.

A expansão da escala e qualidade das medidas de saúde pública, tais como testes, rastreio de contatos, isolamento e tratamento de doentes continuam a ser centrais para a resposta, bem como a prevenção da infecção através da lavagem das mãos, distanciamento físico e uso de máscaras.

A subnotificação de casos é um desafio, uma vez que os testes para a COVID-19 em África continuam a ser baixos pelos padrões de referência globais, mas a capacidade expandiu-se significativamente. Cerca de 7,7 milhões de testes foram realizados desde Fevereiro. O número de testes realizados por 10 000 habitantes em meados de Julho era inferior a 100 em 43 países dos 54 avaliados.

A OMS está a apoiar os países a responder à COVID-19, fornecendo orientação técnica, equipamento médico crucial e já formou remotamente mais de 72 000 trabalhadores da saúde e estabeleceu parcerias com associações profissionais regionais e nacionais para desenvolver a capacidade existente. Através de um portal de fornecimento online, a OMS, outras agências e parceiros das Nações Unidas organizaram também envios de mais de 650 pedidos de equipamento chave, incluindo mais de 2400 concentradores de oxigénio para 47 países da região.


  •  
  •