Continente africano precisa urgentemente de 20 milhões de segundas doses de vacina COVID-19

0
  •  
  •  

 

Foto de vacinação em África – OMS

Com informações da OMS

África precisa de pelo menos 20 milhões de doses da vacina Oxford-AstraZeneca nas próximas seis semanas para obter uma segunda dose para todos os que receberam uma primeira dose no intervalo de 8-12 semanas.

Uma única dose da vacina Oxford-AstraZeneca dá cerca de 70% de proteção durante pelo menos 12 semanas. Os dados sobre a proteção de uma dose após 12 semanas são limitados, contudo foram encontrados anticorpos COVID-19 no organismo até 6 meses após uma dose. O curso completo fornecido com um intervalo de 12 semanas dá 81% de proteção durante um período prolongado.

Para além desta necessidade urgente, são necessárias mais 200 milhões de doses de qualquer vacina COVID-19 da OMS, para que o continente possa vacinar 10% da sua população até setembro de 2021.

Até o dia 27 de maio, 28 milhões de doses de COVID-19, de diferentes vacinas, foram administradas em África, o que representa menos de duas doses administradas por 100 pessoas em África. A nível mundial, foram administradas 1,5 mil milhões de doses de vacina COVID-19.

A França é o primeiro país a partilhar as vacinas COVID-19 do seu fornecimento interno, doando mais de 31 000 doses à Mauritânia, com outros 74 400 conjuntos para entrega iminente. A França comprometeu-se a partilhar mais meio milhão de doses com seis países africanos nas próximas semanas.

A União Europeia e os seus Estados-membros prometeram mais de 100 milhões de doses para países de baixos rendimentos até ao final de 2021. Os Estados Unidos comprometeram-se a partilhar 80 milhões de doses com países de baixo rendimento, e outros países de alto rendimento manifestaram interesse em partilhar vacinas.

 


  •  
  •