Combate à violência contra a mulher para reduzir o risco de infecção por HIV

0
  •  
  •  

Crianças em Taliko, bairro da capital malinesa Bamako. Foto: ONU/Marco Dormino Rio – O diretor-executivo do Programa Conjunto das Nações Unidas sobre HIV/Aids (UNAIDS), Michel Sidibé, afirmou na sexta-feira que ”a cada hora, 50 mulheres jovens se tornam recém-infectadas pelo HIV” em mensagem em antecipação ao Dia Internacional para a Eliminação da Violência contra a Mulher, comemorado em todo mundo.

O Programa da ONU aproveita a celebração da data para pedir o fim da violência baseada no gênero, que além de ser uma grave violação dos direitos humanos, aumenta o risco das mulheres contraírem o HIV. Pesquisas recentes estabelecem uma clara associação entre violência por parceiro íntimo e o HIV; as mulheres que experimentam tal violência enfrentam um risco 50% maior de adquirir o vírus. Responder à violência baseada no gênero e ao HIV é “uma questão de responsabilidade global compartilhada pela justiça social”, afirmou Sidibé.

Na Declaração Política sobre HIV e AIDS, de 2011, os Estados-Membros da ONU prometeram eliminar as desigualdades de gênero, abusos baseados no gênero e violência e proteger as mulheres contra o risco de infecção por HIV. No entanto, a violência baseada no gênero é uma realidade generalizada no mundo, afirma o UNAIDS. Ela afeta homens e mulheres ao redor do planeta, particularmente mulheres que usam drogas injetáveis, profissionais do sexo e transexuais.

Com informações da ONU 


  •  
  •