Ciclone Idai: Equipes de resgate intensificam esforços em Moçambique, Zimbábue e Malawi

0
  •  
  •  

Foto aérea da cidade da Beira. Moçambique – ONUmoçambique

Com informações da organização Médicos Sem Fronteiras

A organização Médicos Sem Fronteiras está atuando nas áreas afetadas pela tempestade tropical Idai em Moçambique, Zimbábue e Malawi. Cerca de 200 mortes foram registradas. Centenas de pessoas estão desaparecidas e milhares desabrigadas.

O ciclone atingiu o centro de Moçambique na última quinta-feira (14) e seguiu para o Zimbábue e Malawi. Em Moçambique, as equipes de MSF estão levantando as necessidades médicas a Beira, cidade mais atingida pelo ciclone no país. A organização tem como objetivo principal garantir a volta das atividades médicas na região, que teve 90% do território impactado por ventos e inundações.

Os estragos causados pela tempestade ocasionaram a paralisação total das atividades no principal hospital da cidade e em centros de saúde. Com cerca de 500 mil habitantes, Beira é a segunda cidade mais importante de Moçambique, atrás apenas da capital, Maputo.

No Zimbábue, equipes de MSF estão a 20 km de Chimanimani, um distrito de 30 mil habitantes fortemente atingido pelo ciclone. Por enquanto, a maioria dos acessos está bloqueada e as condições também não têm permitido retirar de helicóptero feridos da região. Até o momento, as equipes de MSF conseguiram levar suprimentos médicos e apoio para água e saneamento à região próxima e Chimanimani.

No Malawi, há extensas áreas afetadas por inundações perto do rio Shire. Com ajuda de helicópteros, a organização está fornecendo suprimentos e recursos humanos ao centro de saúde da localidade, com intensificação de ações de monitoramento de doenças e promoção de saúde. Estão previstos trabalhos para ajudar no fornecimento de água e saneamento à população afetada.

 


  •  
  •